O Tempo 14359410564491

A mulher presa na manhã desta quarta-feira, suspeita de matar a grávida Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, em Ponte Nova, Minas Gerais, confessou o crime. Gilmária Silva Patrocínio admitiu que matou a mulher que estava no nono mês de gestação para roubar o bebê, que ainda estava na barriga da vítima. Ela confessou que o cortou com uma lâmina a barriga e o útero da vítima para fazer o parto.

No depoimento à polícia, Gilmária chegou a negar a autoria do crime, mas não sustentou a versão apresentada.  A suspeita, que já havia sido visto com Patrícia no dia do crime, teve todas as suas versões sobre o assassinato derrubadas pela polícia. Por fim, ela decidiu confessar. Sua prisão temporária já foi decretada.

A Polícia Civil informou ainda que, na tarde da quarta-feira,  foi com Gilmária fazer a reconstituição do crime, para que a suspeita contasse os detalhes do assassinato.

A mulher contou ainda que simulou que estava grávida para manter o casamento com o marido e que premeditou o crime. Depois de retirar o bebê da barriga de Patrícia, Gilmárialevou o recém-nascido para casa e acionou os bombeiros alegando ter tido um parto em casa e que precisava de socorro. Ela e a criança foram encaminhados a um hospital da região. No hospital, também houve desconfiança quanto à versão de Gilmária do parto em casa.

Já o bebê está acautelado em um local seguro, conforme o delegado. Um exame de DNA foi pedido em caráter de urgência para confirmar a paternidade.