Pombinho Filmagens Cc5df224 3731 4d7d 86c0 b13c998144e5 Bispo Dom Dulcênio em visita a Olivença, Sertão de Alagoas

O Bispo Diocesano de Palmeira dos Índios, Dom Dulcênio Fontes de Matos, foi nomeado pelo Papa Francisco nesta quarta-feira (11) como Bispo de Campina Grande, PB. Após 11 anos como Bispo de Palmeira dos Índios, Dom Dulcênio será transferido para Campina Grande. A notícia que repercute nas redes sociais e sites na internet surprendeu os sertanejos.

Dom Dulcênio participou do programa ''Liberdade de Expressão'' apresentado pelo radialista Gilmar Dionísio duranta a manhã desta quarta na emissora de rádio Milênio Fm da cidade de Santana do Ipanema, Sertão de Alagoas, emissora na qual reproduz seu programa dominical ''A Hora Católica''. Durante entrevista, o Bispo, contou sobre a sua nomeação, segundo Dom Dulcênio, desde o dia 26 de Setembro, quando estava na Assembléia Regional Nordeste 2, em lagoa Seca, foi informado Pelo Senhor Múncio Apostólico no Brasil, Dom Giovanne Daniello que o Santo Padre havia o designado para a condução da igreja particular de Campina Grande. 

Ao deixar sua mensagem ao fíeis, Dom Dulcênio disse: ''Parto com muita gratidão no meu coração por tudo aquilo que eu pude realizar, mas não realizei sozinho, realizei com a ajuda de todos''. O Bispo conduzirá a Diocese de Palmeira dos Índios até o dia 01 de Dezembro. No dia 02 de Dezembro está prevista a sua posse como Bispo Diocesano de Campina Grande, Paraíba.

Dom Dulcênio nasceu em 19 de outubro de 1958, em Lagarto, Diocese de Estância (SE). Após completar os estudos preparatórios em sua cidade natal, estudou Filosofia no Seminário Maior de Nossa Senhora de Fátima (1980-1982), em Brasília, e Teologia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983-1985), como aluno do Seminário Arquidiocesano São José. Formou-se em Filosofia na Universidade Estadual do Vale do Acaraú, Fortaleza (1994-1995), e em Direito Canônico no Instituto de Direito Canônico do Rio de Janeiro. 

Foi ordenado sacerdote em 14 de dezembro de 1985, incardinando-se na Diocese de Estância. Como sacerdote desempenhou as seguintes funções: vice-pároco em Lagarto (1986-1987), pároco (1987-1992), em Umbaúba (SE), pároco da catedral, membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores, professor de Teologia e coordenador Diocesano de Pastoral (1992-2001).

Foi nomeado Bispo auxiliar de Aracajú (SE), em 18 de abril de 2001. Recebeu a ordenação episcopal em 16 de junho do mesmo ano. Em 12 de julho de 2006, foi nomeado Bispo de Palmeira dos Índios.