Internet 8bc179a5 8112 43cb ab96 2c417f52eb22

Quatro dias após ser preso acusado de ter assassinado o caseiro Zenóbio Gomes Feitosa, o ex-prefeito de Palestina, Júnior Alcântara , teve o pedido de Habeas Corpus concedido pelo desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas, Celyrio Adamastor Tenório.

Segundo a decisão com pedido de medida liminar, impetrada pelo advogado Fábio Costa de Almeida Ferrário,  o ex-prefeito foi preso preventivamente na sexta-feira, dia 22, por suposta prática do delito de homicídio qualificado.

O advogado alegou ainda que Alcântara “ostenta condições pessoais favoráveis, tendo em vista sua primariedade, o que o faz merecer aguardar em liberdade a tramitação do feito originário”.

Provas

Em coletiva à imprensa realizada na tarde desta terça-feira, 26, na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP) a Polícia Civil informou que o ex-prefeito de Palestina, Júnior Alcântara seria o responsável pela morte do caseiro Zenóbio Gomes Feitosa, ocorrida na Fazenda do prefeito. A morte teria sido para encobrir o desaparecimento de documentos que incriminavam o Júnior em desvios praticados à frente da municipalidade.

A polícia revelou ainda que o vereador Luciano Lucena, preso nesta sexta-feira, 22, junto com Júnior seria o autor intelectual do crime.

O caso

O agricultor Zenobio Gomes Feitosa, de 60 anos, teria sido sequestrado na fazenda do ex-prefeito de Palestina Júnior Alcântara. Ele  foi encontrado morto em maio deste ano,  no município Jacaré dos Homens, no Sertão de Alagoas.

O caseiro teria sido assassinado a pauladas e jogado em uma ribanceira próximo ao lixo.