Reprodução/ Internet 7f2fe08f cd3c 4af1 8bdd 032c1f51e234

A Família Boiadeiro aguarda a conclusão do inquérito que investiga o crime contra o vereador Adelmo Rodrigues de Melo ''Neguinho Boiadeiro'', 61 anos, (PSD), morto ao sair da câmara de vereadores no dia 09 de novembro de 2017 em Batalha, Sertão de Alagoas. A Polícia Civil investiga com uma comissão de delegados designados pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL). 

De acordo com a filha de Neguinho, Maria da Conceição Cavalcanti de Melo, ''Bahia Boiadeiro'' a familia foi orientada a aguardar que a PC conclua o inquérito sobre o caso para que possam encaminhá-lo para Brasília a fim de quê lá seja analisado e a Polícia Federal possa entrar no caso. A família sempre declarou querer que a PF investigasse o crime contra o político. Recentemente surgiram informações que ainda no ínicio deste ano a polícia deva apresentar o inquérito sobre o crime. 

35 dias depois do assassinato de Boiadeiro, foi a vez do vereador Tony Carlos Silva de Medeiros (PR), o Tony Pretinho, ser morto a tiros. Investigações dão conta que as mortes podem estar interligadas, mas a motivação ainda é um mistério. Tony era da base de situação, aliado da prefeita Marina Dantas (PMDB), porém mesmo em lado oposto a Neguinho, os dois mantinham um grande laço de amizade e Tony era compadre de um dos filhos de Neguinho. Bahia declarou durante entrevista a uma emissora em Arapiraca que seu pai (Neguinho) mantinha um acordo político com Tony para juntos com outros vereadores em um grupo de oposição em Batalha apoiarem um candidato a deputado federal e segundo ela, Boiadeiro e Carlos vinham se preparando para a formação de uma chapa que iria a disputa pelo poder executivo em 2020.