Foto: Fábio Guedes 4d3a599c 89ac 46a3 aecb 8e1c35748a61

A paróquia Nossa senhora do Rosário, Delmiro Gouveia, realizou na manhã desta quarta-feira (14), a santa missa “Quarta-feira de Cinzas”. A celebração foi conduzia pelo pároco Adalto Vieira. A missa marca a abertura do período de Quaresma, que são os quarenta dias que antecedem o domingo da páscoa.

Durante a missa, os fiéis receberam a marca na testa com as cinzas simbolizando um sinal de humildade, que recorda que cada cristão a tem sua origem e seu fim. “Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás!” (Gn 3,19).

Além disso, a missa também abre a Campanha da Fraternidade de 2018 que traz o tema: Fraternidade e superação da violência, tendo como lema Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8). Devido ao seu alto grau de complexidade, o tema violência foi discutido, refletido e aprofundado em um seminário que aconteceu no dia 09 de dezembro de 2016 na sede da CNBB em Brasília.

 

Quarta-feira de Cinzas

 

Também conhecida por Dia de Cinzas, a Quarta-feira de Cinzas é o primeiro dia da Quaresma. Esta é uma data muito especial para os cristãos.

A Quaresma representa os 40 dias que Jesus esteve no deserto, suportando todas as aflições e tentações. Neste sentido, a data representa o início de 40 dias de reflexões e arrependimentos, como forma de relembrar o sofrimento que Jesus passou na Terra. Todos os anos, a quaresma tem início na Quarta-feira de Cinzas, sempre um dia após o Carnaval.

Esse período se apresenta como símbolo de transformação e passagem, solenizando, dessa forma, a vulnerabilidade da vida e a suscetibilidade à morte. Os cristãos prezam muito por esta data, e seguem à risca todos os rituais da Quarta-feira de Cinzas.

O sufixo do nome, “cinzas”, tem origem unicamente religiosa. Como neste dia é comemorada a clássica missa das cinzas, o primeiro dia da quaresma recebeu este nome. Na missa das cinzas, são queimados os galhos louvados do Domingo de ramos, do ano passado. O ritual funciona da seguinte maneira: as cinzas são misturadas a água benta – essa mistura, posteriormente, será utilizada para sinalizar uma cruz na testa de cada fiel pelo padre, dizendo a seguinte frase: “Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás”. Essa marca, deixada pelo padre na fronte dos cristãos, é mantida até o pôr do sol do mesmo dia. Somente após o cair da noite que se pode lavar esta marca.

O ritual realizado nas missas das cinzas remete às antigas tradições do Oriente Médio, onde as pessoas costumavam jogar cinzas por cima de suas próprias cabeças, como sinal de arrependimento de seus pecados em face de Deus (fato contado várias vezes na Bíblia). O Catolicismo Romano difunde, ainda nesta data, as penitências de jejum e abstinência.

Portanto, na Quarta-feira de Cinzas, sob orientação da Igreja Católica, os fiéis fazem jejum ou não comem carne. Há vários anos existe esta tradição, que tem como intuito relembrar os cristãos devotos o sacrifício de Jesus. A ideia é de que, como Jesus sacrificou-se por todos na cruz, os crentes deveriam também realizar um sacrifício, como a privação de algo que gostam ou carne.

No entanto, de acordo com a lei federal brasileira, a Quarta-feira de Cinzas não é um feriado público. Ainda assim, várias lojas e instituições não abrem as portas nesse dia, bem como algumas agências bancárias funcionam somente depois das 12 horas.

 

Por Fábio Guedes com agência