Cortesia/ Cada Minuto 05837420 f2ca 4b69 870f 338a8b3bf7af

Acusado de participação no esquema de corrupção na cidade de Mata Grande, o cantor e vocalista da banda Xatrez Max David teve seu pedido de liberdade negado pelo juiz convocado Maurílio Ferraz. Ele continua preso preventivamente durante as investigações, que atingiu o ex-prefeito do município Jacob Brandão.

Em sua decisão, o magistrado colocou que os magistrados de primeiro grau bem fundamentaram a decretação da prisão preventiva, apontando concretamente o risco de os denunciados continuarem a praticar novos crimes e pela gravidade em concreto das ações da associação criminosa, especialmente diante de uma nova realidade política”.

De acordo com o Ministério Público Estadual (MPE/AL), Max David é um dos principais membros dessa organização criminosa (Orcrim) e um dos que mais lucravam nesse esquema criminoso na Prefeitura de Mata Grande.

“Por fim, pontuo que o fato de o paciente ser cantor da Banca Xatrez e sua prisão estar prejudicando os demais integrantes, que ficam impossibilitados de cumprir sua agenda de shows, deve ser levado em conta; porém, infelizmente para os demais músicos, não pode ser fundamento único para a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão”, explicou o magistrado Maurílio Ferraz.

Na decisão, o magistrado explicou que o réu foi acusado apenas de ter recebido suposta quantia desviada dos cofres públicos, em uma única oportunidade, não tendo sido imputados a ele os delitos de falsidade ideológica e os previstos na Lei de Licitações.