Brasil/Mundo

Alexandre de Moraes prorroga inquérito sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

  • Agência Brasil
  • 27/11/2020 21:13
  • Brasil/Mundo
Foto: Agência Brasil
Alexandre de Moraes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes prorrogou por mais 60 dias o inquérito que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF) e o crime de denunciação caluniosa por parte do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

Na decisão, Moraes também deu prazo de cinco dias para a Procuradoria-Geral da República (PGR) opinar sobre o depoimento do presidente no inquérito, que foi aberto em abril deste ano. 

Ontem (26), em uma manifestação enviada ao ministro, que é relator do caso, a Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu a conclusão do inquérito. 

O advogado-geral da União, José Levi do Amaral, afirmou que a divulgação da reunião ministerial de 22 de abril demonstrou “infundadas quaisquer das ilações que deram ensejo ao inquérito”. Na petição, Amaral também diz que o presidente abriu mão de prestar depoimento presencial no inquérito. 

Em outubro, o plenário da Corte iniciou o julgamento do recurso no qual a AGU pede para que seja concedido ao presidente o direito de prestar depoimento por escrito no inquérito. Após o voto do ministro Celso de Mello, antigo relator, o julgamento foi suspenso. A data da retomada não foi definida. Mello se aposentou e foi substituído pelo ministro Nunes Marques. 

No recurso, Levi argumenta que o Supremo deve conferir tratamento isonômico a Bolsonaro, uma vez que o ex-presidente Michel Temer foi autorizado a prestar depoimento por escrito em diferentes inquéritos do qual era alvo na Corte enquanto ocupava o cargo, em 2018.

Em manifestações divulgadas desde a abertura do inquérito, o presidente Jair Bolsonaro diz que não houve pedido para o então ministro da Justiça e Segurança Pública interferir em investigações da PF.

Em entrevista, Nelson Piquet afirma que Ayrton Senna era gay e que relacionamentos do piloto com mulheres eram fachada

  • IG
  • 27/11/2020 20:50
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Ayrton Senna e Nelson Piquet

O ex-piloto Nelson Piquet retomou uma história antiga em relação a sexualidade do piloto Ayrton Senna , que morreu em 1994, aos 34 anos, em um acidente durante o Grande Prêmio de San Marino, em Ímola, na Itália.

Em entrevista ao canal de YouTube de Júnior Coimbra, o ex-piloto afirmou que seu grande rival, e com quem tinha uma série de desavenças, era gay e se casou com mulheres apenas para enganar a mídia. Adriane Galisteu, uma das ex-namoradas de Senna, não perdeu tempo e deu uma resposta dura ao ex-piloto , por meio das redes sociais.

“O Senna passou quase três anos na Fórmula 1 e ele não tinha nenhuma namorada. Tinha um cara chamado Junior que vivia do lado dele e aí, o pessoal contou a história toda", diz.

O ex-piloto também revelou como começou todo o problema entre ele e Senna, que o processou por difamação.

"A história é muito simples. A confusão não começou de mim pra ele, começou dele pra mim. Na verdade, foi um jornalista de um jornal do Brasil. Em 87, quando eu ganhei o campeonato, o Senna que dava entrevista todo dia e toda semana. Ele sumiu. E voltou nos testes de outubro até os testes do final de Janeiro no Rio de Janeiro. Se ele não sumisse, eu não teria espaço na mídia brasileira mesmo ganhando o terceiro campeonato do mundo. E o jornalista perguntou: você concorda com isso? E a única frase que eu falei e que saiu da minha boca foi: ah, vai perguntar pra ele porque ele não gosta de mulher. Foi a única coisa que eu falei! Ele escreveu uma matéria grande, dizendo que eu toquei na sexualidade dele”, prosseguiu.

Ainda de acordo com Piquet, após o ocorrido ele recebeu uma ligação do seu advogado, que afirmou que descobriu uma coisa. "O Senna foi casado e o casamento foi anulado. Eu perguntei o que significava isso e ele me explicou que só tem duas maneiras de anular um casamento. Não consumação ou traição pelo mesmo sexo”, afirmou o piloto.
 

Diante da repercusão, Piquet diz que "jogou a merda toda no ventilador".

"O manager dele me pegou, me tirou fora e falou pra gente parar com essa baixaria. Eu respondi: baixaria quem começou foi vocês. Quem me processou foram vocês. A única coisa que eu falei era pra perguntar pra ele porque ele não gosta de mulher. Ele está há três anos na Fórmula 1 e não tem uma namorada”, concluiu.

Mesmo duas décadas após sua morte, Senna continua sendo um dos pilotos de Fórmula 1 mais famosos de todos os tempos. 

 

 

Sem dados de dois estados, Brasil registra 514 mortes por Covid-19 em 24h

  • IG
  • 27/11/2020 18:52
  • Brasil/Mundo
Reprodução
Coronavírus

O Brasil registrou, nesta sexta-feira (27), 34.130 novos casos e 514 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Os estados de Goiás e Rondônia não forneceram os dados atualizados de hoje. 

Até agora, foram confirmados 6.238.350 casos acumulados e 171.974 vidas perdidas desde o início da pandemia. Já a média móvel de mortes, também verificada pelo boletim, foi de 480. A média móvel de casos ficou em 31.169.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 41.902 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 22.448 mortes, seguido por Minas Gerais (9.948), Ceará (9.568), Pernambuco (8.999).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.233.587), Minas Gerais (409.731), Bahia (394.300), Rio de Janeiro (347.348) e o Ceará (298.312).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 60 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,4 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

 

Monstruoso: jacaré de 320 kg é encontrado nos Estados Unidos; veja

  • Assessoria
  • 27/11/2020 17:31
  • Brasil/Mundo

Estados Unidos , um jacaré enorme de 320 kg foi capturado escondido em uma vala de irrigação, próximo a um lago, no estado da Geórgia . As informações são do jornal Metro .

O animal mede, da cabeça à cauda, longos 4 metros, e possui circunferência torácica de 144 centímetros. De acordo com o portal IFLS, o jacaré foi capturado por especialistas em vida selvagem. "Capturamos alguns crocodilos, mas nenhum tão grande", disse o biólogo Brent Howze.

"No início foi um pouco assustador, dado o seu tamanho e poder. Mas trabalho com um grupo de pessoas incrivelmente talentosas e estávamos bastante confiantes de que poderíamos lidar com a situação", acrescentou.

Segundo o portal, embora o retorno das populações destes animais ao sul dos Estados Unidos tenha sido positivo – após de serem dizimadas pela caça excessiva e perda de habitat –, sua abundância significa que as populações devem ser administradas, especialmente se estiverem em áreas próximas a humanos ou animais.

Os especialistas explicaram que o indivíduo já era excepcionalmente velho. De acordo com eles, era possível observar cicatrizes de antigos ferimentos à bala ao longo de seu corpo. Infelizmente, devido à saúde precária e idade do animal, eles tomaram a decisão de sacrificá-lo.

"É uma situação lamentável, mas a melhor coisa para o animal era abatê-lo. Há apenas uma maneira de um crocodilo viver tanto tempo, evitando os humanos", declarou Howze.

Depois de uma foto do animal ter viralizado nas redes sociais, os internautas pensaram que a imagem não era real. "Aparentemente, muitas pessoas pensam que é falsa, mas posso garantir que não é", confirmou Howze.

 

Teste de Boulos dá positivo para covid-19; candidato pede debate virtual

  • UOL
  • 27/11/2020 16:58
  • Brasil/Mundo

O candidato do PSOL a prefeito de São Paulo, Guilherme Boulos, foi diagnosticado com covid-19. O resultado do teste foi divulgado na tarde desta sexta-feira (27).

Em razão da notícia sobre o teste, a campanha de Boulos irá propor que o debate com Bruno Covas (PSDB) na noite de hoje na TV Globo seja realizado de forma virtual. Procurada, a emissora ainda não se manifestou sobre o pedido do candidato. A campanha de Covas também não se pronunciou sobre o caso até o momento.

Boulos decidiu fazer o exame após a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP) ter anunciado na última segunda-feira (23) que havia contraído o novo coronavírus.

O candidato e a parlamentar estiveram no mesmo ambiente na sexta-feira da semana passada, dia 20, em uma agenda fechada da campanha de Boulos.

O candidato, que fez o exame ontem, disse nos últimos dias que não tinha sintomas da doença. "Diante do resultado positivo, Guilherme Boulos irá cumprir o protocolo de quarentena pelo período necessário. Toda a equipe que trabalha na campanha e que tem contato próximo com o candidato será testado a partir de agora", disse a campanha em nota.

Por precaução, Boulos suspendeu agendas de rua desde terça-feira (24). Nesse período, ele fez encontros de campanha fechados ao público externo. Com o anúncio de que ele contraiu o novo coronavírus, ele não deverá participar das carreatas que serão realizadas amanhã. Todas terão como ponto final a avenida Paulista.

No início desta tarde, antes de saber do resultado, Boulos disse a jornalistas que fez o teste "muito mais por um gesto simbólico, para dar exemplo". "Teve aquele contato absolutamente esporádico com a Sâmia Bomfim, que testou positivo. Estou com minha agenda normal e focado na preparação para o debate".

Em nota, a campanha diz que "o candidato reforça a preocupação que tem afirmado nos últimos dias sobre os indícios de uma segunda onda da pandemia, até aqui negligenciada pelos governos estadual e municipal, responsáveis pela aplicação das medidas".

Boulos aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás de Covas, seu adversário no pleito de domingo (29)

 

Fiocruz: aumento de casos e óbitos de covid-19 deve servir de alerta

  • Agência Brasil
  • 27/11/2020 13:48
  • Brasil/Mundo
Foto: Pixabay/Ilustrativa
Covid-19

O aumento de casos e óbitos de covid-19 no Brasil entre 8 e 21 de novembro ainda não pode ser chamado de segunda onda, mas deve servir de alerta para reforçar o sistema de saúde, avalia o Boletim Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que foi atualizado ontem (26) com os dados das semanas epidemiológicas 46 e 47. O texto pede atenção na análise dos dados, já que as semanas estudadas sucedem um período em que houve defasagem nos registros, no contexto dos ataques cibernéticos sofridos por órgãos federais.

"Ainda não se pode afirmar que o Brasil vive uma segunda onda da pandemia, mas a inversão da tendência de redução desses indicadores [de casos e óbitos] deve servir como alerta para todo o sistema de saúde, no sentido de reforçar a infraestrutura hospitalar e intensificar ações de atenção primária integrada à vigilância", afirma o boletim, que reitera a importância de combinar o distanciamento social à realização de testes para a identificação ativa de casos e contatos, com isolamento dos casos e quarentena dos contatos.

A Fiocruz avalia ainda que "a combinação dos problemas no fluxo de dados e o aumento súbito do número de casos deve ser tratada com bastante atenção, pois significa que no momento atual podemos ter um quadro de indicadores que efetivamente não reflete a realidade, agravado pela ausência de testes e de busca ativa de casos e contatos".

Entre 8 e 21 de novembro, foi observada tendência de alta na incidência da doença nos estados do Amapá, Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná e de Santa Catarina. Já o número de óbitos sofreu "aumento expressivo" em Roraima (+7,9%), Minas Gerais (+6,6%), no Rio de Janeiro (+10,1%), em São Paulo (+7,7%),  no Rio Grande do Sul (+5,2%) e em Goiás (+7,5%).

A Fiocruz aponta que a incidência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país voltou a crescer e "revela um quadro preocupante". As taxas mais altas no período ocorreram em Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, no Distrito Federal, Paraná, em São Paulo e no Rio Grande do Sul.

A ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva para covid-19, segundo o boletim, continuou em uma tendência de piora, com Amazonas (86%) e Espírito Santo (85,1%) na zona de alerta crítica. A situação piorou na Bahia (61,1%), em Minas Gerais (64,5%), no Rio de Janeiro (70%) e em Santa Catarina (78,1%), e esses estados voltaram para a zona crítica intermediária.

AGU pede conclusão de inquérito sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

  • Agência Brasil
  • 26/11/2020 22:01
  • Brasil/Mundo
Foto: Alan Santos /PR
Jair Bolsonaro

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu hoje (26) a conclusão do inquérito que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF) e o crime de denunciação caluniosa por parte do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro.

Em uma manifestação encaminhada ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), atual relator do caso, o advogado-geral da União, José Levi do Amaral, afirma que a divulgação da reunião ministerial de 22 de abril demonstrou “infundadas quaisquer das ilações que deram ensejo ao inquérito”.

Na petição, Amaral também diz que o presidente abriu mão de prestar depoimento no inquérito. “Assim, o peticionante vem, respeitosamente, à presença de Vossa Excelência, declinar do meio de defesa que lhe foi oportunizado e roga pronto encaminhamento dos autos à Polícia Federal para elaboração de relatório final a ser submetido, ato contínuo, ainda dentro da prorrogação em curso, ao Ministério Público Federal”, solicitou o advogado-geral.

Em outubro, o plenário da Corte iniciou o julgamento do recurso no qual a AGU pede para que seja concedido ao presidente o direito de prestar depoimento por escrito no inquérito. Após o voto do ministro Celso de Mello, antigo relator, o julgamento foi suspenso. A data da retomada não foi definida. No mês passado, Mello se aposentou e foi substituído pelo ministro Nunes Marques.

No recurso, José Levi argumenta que o Supremo deve conferir tratamento isonômico a Bolsonaro, uma vez que o ex-presidente Michel Temer foi autorizado a prestar depoimento por escrito em diferentes inquéritos do qual era alvo na Corte enquanto ocupava o cargo, em 2018.

Em manifestações divulgadas desde a abertura do inquérito, o presidente Jair Bolsonaro diz que não houve pedido para o então ministro Moro interferir em investigações da PF.

Média móvel de casos de Covid-19 continua a subir no Brasil e vai a 31.779

  • IG
  • 26/11/2020 19:02
  • Brasil/Mundo
Ilustração
Covid-19

O Brasil registrou nesta quinta-feira 37.614 novos casos e 691 novas mortes por  Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Até agora, foram confirmados 6.204.220 casos acumulados e 171.460 vidas perdidas desde o início da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Já a média móvel de mortes, também verificada pelo boletim, foi de 486. A média móvel de casos ficou em 31.779.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 41.773 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 22.394 mortes, seguido por Minas Gerais (9.904), Ceará (9.545), Pernambuco (8.987).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.229.267), Minas Gerais (406.880), Bahia (392.381), Rio de Janeiro (346.024) e o Ceará (297.152).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 60 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,4 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

Mulher é presa por quebrar mais de 500 garrafas em ataque de fúria em mercado

  • iG
  • 26/11/2020 17:23
  • Brasil/Mundo

Uma mulher foi presa no condado de Hertfordshire, na Inglaterra, na última quarta-feira (26) após quebrar mais de 500 garrafas de bebidas jogando-as no chão.

Ao escutar um pedido de " calma ", ela arremessou uma garrafa de gin contra um homem que estava acompanhando a cena.

"Foi extraordinário. Eu nunca havia visto isso na minha vida", disse uma testemunha que presenciou o ataque de fúria.

A mulher, enquanto arremessava as garrafas, machucou a mão direita quando escorregou.  

A polícia foi chamada ao local e a deteve, sob acusação de vandalismo.

Confira o vídeo:

Motorista do acidente em Taguaí deve responder por homicídio

  • Terra
  • 26/11/2020 16:31
  • Brasil/Mundo
Foto: Corpo de Bombeiros / Reprodução

A principal linha de investigação da Polícia Civil é que o motorista do ônibus que se envolveu no acidente com ao menos 41 mortos em Taguaí, no interior de São Paulo, tenha cometido homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Um dos sobreviventes da tragédia, ele também pode responder por lesão corporal.

Sem autorização para prestar o serviço, o veículo conduzia funcionários de uma fábrica têxtil para o trabalho, quando colidiu contra uma carreta na Rodovia Alfredo Oliveira Carvalho (SP 249). O motorista do caminhão, que morreu, também estava em situação irregular: ele não possuía habilitação para conduzir esse tipo de veículo na CNH.

Para os investigadores, só há uma certeza sobre a dinâmica do acidente até o momento. "O ônibus invadiu a faixa contrária, e o que motivou a isso é o caminho da nossa investigação agora", diz a delegada Camila Rosa Alves, responsável pelo caso.

Segundo a investigação, o ônibus teria se deparado com outro caminhão, que estava em baixa velocidade à frente, e entrou na contramão. A manobra provocou a batida com a carreta.

Resta saber se o movimento aconteceu por ser um tentativa irregular de ultrapassagem, já que o trecho da colisão é de faixa contínua. A outra hipótese, alegada pelo motorista, é que houve uma falha no sistema de frenagem e o condutor teria sido obrigado a trocar de faixa para evitar bater na traseira do outro caminhão.

Para isso, a Polícia Civil espera resultado de perícia no veículo. "Tudo indica que não tenha sido uma falha mecânica, mas não tenho como afirmar isso sem o laudo", afirma a delegada.

No inquérito, também foram solicitados exames toxicológicos para os condutores, além de perícia no local. Os tacógrafos também foram apreendidos, mas a delegada evitou informar a velocidade indicada dos automóveis. No local, o limite para veículos pesados é de 80 km/h.

"É um local onde, via de regra, as pessoas costumam abusar da velocidade", disse. À polícia, testemunhas também disseram informalmente que o condutor seria conhecido por exceder o limite permitido.

Caso a investigação confirme que houve imprudência, ele deve responder criminalmente pelas mortes e ferimentos das vítimas. Já se a hipótese de falha mecânica for verdadeira, o motorista não seria indiciado.

Entre a noite de quarta-feira e a madrugada desta quinta, 37 das 41 vítimas foram veladas e enterradas em Itaí, no interior paulista. Sem iluminação suficiente, o cemitério precisou receber caminhões de luz emprestados de concessionárias de rodovias para realizar os velórios em série.

Covid-19: Pfizer inicia pedido de registro para vacina na Anvisa

  • Notícias ao Minuto
  • 25/11/2020 21:30
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Vacina para a Covid-19

A farmacêutica Pfizer informouhoje(25) que deu início ao processo de pedido de registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da vacina que desenvolve para o combate à covid-19. É o primeiro passo para que o tratamento possa obter a autorização da agência e seja disponibilizado no país.

O anúncio foi feito pela companhia após reunião com técnicos da Anvisa realizadahoje. O requerimento será realizado na modalidade de “submissão contínua”, criado pela agência para vacinas específicas contra a covid-19 com o objetivo de agilizar procedimentos de análise.

A vacina, denominada tecnicamente de BNT162b2, é desenvolvida pela Pfizer e pela empresa alemã BioNTech. Neste mês, as companhias anunciaram a conclusão dos testes e declararam que a vacina obteve 95% de eficácia no tratamento contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Os dados sobre a vacina serão repassados em etapas. Entre eles os resultados dos exames da fase 3, quando foram avaliados pacientes tanto infectados quanto sem o novo coronavírus. Este foi iniciado no fimde julhoe contou com a participação de 43,6 mil pessoas de 150 locais de países diversos, como Estados Unidos, África do Sul, Argentina e Brasil.

Aqui, foram incluídos no estudo 2,9 milvoluntários. O processo foi conduzido pelo Centro Paulista de Investigação Clínica, de São Paulo, e pelas Obras Assistenciais Irmã Dulce, em Salvador. Também serão entregues informações sobre amostras de 38 mil pessoas que participaram dos processos de análise sobre a eficácia e a segurança da vacina.

A Pfizer não detalhou em seu comunicado oficial se há previsão para o encaminhamento do conjunto das informações sobre o estudo e a oficialização do requerimento, condição para que a vacina comece a ser distribuída no país. A farmacêutica apenas informou que os resultados serão publicados em periódicos acadêmicos quanto o ensaio clínico for concluído.

Análise do Ministério da Agricultura mostra que sementes da China recebidas por brasileiros contêm pragas que não existem no país

  • Ministério da Agricultura
  • 25/11/2020 20:40
  • Brasil/Mundo
Foto: Mapa
Parte das amostras analisadas até o momento apresentaram risco fitossanitário ao país

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) analisou, até o momento, 36 amostras de pacotes de sementes não solicitadas que chegaram via Correios na casa dos brasileiros e foram encaminhadas ao Mapa. As análises realizadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás (LFDA-GO), referência em sanidade vegetal, indicam que parte das amostras contem a presença de mais de uma praga em seu conteúdo.

No total, 47% das amostras já analisadas apresentaram risco fitossanitário ao país. Após avaliação de risco fitossanitário, realizada pela área técnica do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Mapa, foi identificado que uma amostra continha a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos fitossanitários. Essa espécie apresenta resistência a herbicidas, o que torna seu controle difícil. A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo.

Em quatro amostras foram identificadas uma espécie quarentenária ausente – Descurainia sophia – considerada como planta daninha nos Estados Unidos e Canadá, além de planta invasora no México, Japão, Coreia, Chile e Austrália. Já a Myosoton aquaticum é considerada daninha nos campos de trigo da China.

Outras 15 amostras continham gêneros que tem espécies quarentenárias ou espécies com potencial quarentenário, como sementes de Cuscuta; de Brassica; de Chenopodium; de Amaranthus; e dos fungos Cladosporium; Alternaria; Fusarium; e Bipolaris.

“Após análises laboratoriais, pode-se avaliar que a introdução de material propagação (sementes ou mudas), mesmo em pequenas quantidades, sem atender aos requisitos fitossanitários e de qualidade estabelecidos pelo Mapa, coloca em risco a agricultura brasileira”, ressalta o diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, Carlos Goulart.

A importação de material de propagação vegetal, incluindo sementes e mudas, é autorizada pelo Mapa somente das origens para as quais o Brasil já tenha estabelecido exigências fitossanitárias que devem ser atendidas. As regras estabelecidas pelo Ministério se aplicam para qualquer modalidade de compra e aquisição, incluído a compra eletrônica com entrega via remessa postal.

A lista de produtos com importação autorizada está disponível para livre consulta no endereço eletrônico: http://mapas.agricultura.gov.br/ddiv/arp/oracle/pvti2.asp

Orientações 

O Mapa mantém o alerta aos cidadãos brasileiros para que tenham cuidado e não abram encomendas recebidas pelos correios de pacotes de sementes não solicitadas.

Caso o cidadão venha a receber em casa sementes provenientes do exterior, o Ministério orienta a entrega do material para uma das unidades do Mapa em seu estado  ou órgão estadual de defesa. O pacote não deve ser aberto ou descartado no lixo, a fim de evitar o contato das sementes com solo e prejuízos para as áreas agrícolas e o meio ambiente.

A orientação também vale para o cidadão que recebeu e plantou as sementes. Neste caso, entre em contato com o Mapa ou o órgão estadual de defesa para agendar o recolhimento do material.

Brasil registra 47 mil casos de Covid-19 em 24h; mortes passam de 170 mil

  • IG
  • 25/11/2020 19:30
  • Brasil/Mundo
Covid-19

O Brasil registrou nesta quarta-feira (25) 47.898 novos casos e 654 novas mortes por  Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Até agora, foram confirmados 6.166.606 casos acumulados e 170.769 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Já a média móvel de mortes, também verificada pelo boletim, caiu levemente e foi de 473. A média móvel de casos voltou a subir ficou em 31.537.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 41.601 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 22.256 mortes, seguido por Minas Gerais (9.858), Ceará (9.530), Pernambuco (8.971).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.224.744), Minas Gerais (403.542), Bahia (390.909), Rio de Janeiro (343.995) e o Ceará (295.073).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da  pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de  60 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,4 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

 

Acidente em rodovia no interior de SP provoca 41 mortes, diz PM

  • G1
  • 25/11/2020 14:26
  • Brasil/Mundo

Um acidente entre um ônibus e um caminhão deixou 41 mortos na manhã desta quarta-feira (25) em Taguaí, na região de Avaré (SP), segundo a Polícia Militar de São Paulo. A colisão aconteceu no km 172 da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho.

Segundo o porta-voz da PM, tenente Alexandre Guedes, este é o maior acidente do ano nas rodovias do estado de São Paulo.

O tenente diz ainda que o local é de difícil acesso e as informações ainda estão em atualização. O último balanço, de 13h30, aponta 10 feridos atendidos em três hospitais da região: de Taguaí, Fartura e Taquarituba.

Ainda conforme a polícia, algumas pessoas ficaram presas às ferragens. Os corpos dos mortos estão sendo levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Avaré.

O acidente aconteceu em um trecho de curva da Rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, que é pista simples. A rodovia SP-249 não tem pedágios. Segundo a Polícia Militar Rodoviária de Itapeva, não são comuns acidentes no trecho da rodovia onde foi registrada a batida.

A causa do acidente é investigada. A suspeita da polícia é que uma ultrapassagem teria provocado a colisão.

Após o acidente, o caminhão bitrem, que levava carga de esterco, invadiu uma propriedade rural. O motorista do caminhão é um dos sobreviventes. Ele foi levado ao pronto-socorro de Fartura.

O Governo de São Paulo informou que montou uma força-tarefa para identificar e liberar os corpos das vítimas (veja a nota abaixo).

O Coordenador da Defesa Civil do Estado, Coronel Walter Nyakas Júnior, e os Secretários de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e de Saúde, Jean Gorinchteyn, vão até o local para coordenar os resgates, visitar os hospitais onde estão as vítimas e agilizar a liberação dos corpos.

O Governo também convocou a população para doação de sangue no hemocentro de Botucatu para ajudar ao atendimento médico dos feridos.

Uma lista recebida pelas equipes de resgate aponta que 52 trabalhadores estariam no ônibus, além do motorista. A polícia trabalha na identificação das vítimas.

"A informação inicial, [seriam] funcionários de uma empresa, ao menos 53, não temos dados precisos, é uma região de difícil acesso. Pessoas socorridas para hospitais da região e outras estão recebendo socorro, presas nas ferragens", informou o tenente Guedes.

Segundo os bombeiros, os funcionários eram levados para a empresa Stattus Jeans, em Taguaí. O G1 e a TV TEM tentam contato com a empresa.

O ônibus com trabalhadores saiu de Itaí, passou por Taquarituba e seguia até a empresa têxtil em Taguaí quando houve o acidente.

Quatro feridos em acidente em rodovia estão no Hospital de Taquarituba

O acidente aconteceu por volta das 7h e a rodovia precisou ser interditada para atendimento da ocorrência. Equipes de resgate da Polícia Rodoviária, bombeiros e até do helicópteros Águia, da PM, trabalham no local. Até 13h30 a rodovia permanecia fechada para o tráfego de veículos.

Bombeiros de Sorocaba, a mais de 250 quilômetros de distância, foram levados pelo Águia para ajudar no socorro às vítimas. Socorristas e profissionais da saúde da região também foram deslocados para ajudar no resgate.

A Prefeitura de Taguaí decretou luto oficial por três dias na cidade. O G1 tenta contato com a Star Turismo, empresa dona do ônibus envolvido no acidente.

"A Secretaria da Segurança Pública acionou os IMLs da região, nas cidades Avaré, Botucatu e Itapetininga, para atender ao grande número de óbitos o mais rápido possível. As polícias Civil e Militar estão empenhadas no atendimento às vítimas do acidente. O helicóptero Águia da base de Campinas também foi acionado para auxiliar nos trabalhos. Foi solicitada perícia para o local e as vítimas sobreviventes estão sendo socorridas a hospitais da região. A ocorrência está em andamento e outros detalhes serão passados ao término dos trabalhos", informou o governo do estado.

Alemanha tem recorde de casos de covid-19 com 410 mortes em 24 horas

  • Agência Brasil
  • 25/11/2020 08:10
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução/ Internet
Covid-19

A Alemanha registou hoje (25) novo recorde de mortes por covid-19, com 410 óbitos em 24 horas, e espera-se que haja uma extensão das medidas restritivas atuais sobre a vida pública e econômica do país.

O número de novas infecções em 24 horas foi de 18.633, segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI).

Esse número representa mais de mil casos em relação ao registados na quarta-feira da semana anterior, embora esteja abaixo do máximo absoluto de infecções diárias (23.648 casos na sexta-feira passada).

Mais alarmante é o aumento de mortes - 410 em 24 horas - bem acima do recorde diário anterior (315) registrado em meados de abril.

O número total de infeções verificadas pelo RKI desde o início da pandemia sobe, assim, para 961.320 - dos quais se estima que 656.400 pacientes estejam recuperados -, enquanto o número de óbitos sobe para 14.771.

A chanceler alemã, Angela Merkel, terá hoje nova reunião com líderes regionais.

Na semana passada houve uma reunião entre os líderes dos estados federados alemães, mas não foi alcançado um consenso para endurecer as medidas em vigor desde 2 de novembro - como pretendia Merkel - e apenas foi avaliado o número de infecções naquele momento.

Os governos regionais acordaram, em várias rondas de negociações ao nível dos dirigentes dos Länder - Estados Federados -, no início desta semana, estender as medidas em vigor até 20 de dezembro ou mesmo endurecer algumas delas, para aliviar um pouco durante as festividades de Natal e Ano Novo.

Desde 2 de novembro, as casas noturnas, a restauração, eventos culturais e desportivos estão fechados, mas a atividade escolar e a vida comercial permanecem em funcionamento, embora com lotação limitada.

Os cidadãos foram aconselhados a evitar todas as viagens não essenciais, tanto dentro do país quanto no estrangeiro.

A expectativa é que o governo federal concorde com os "Länder" sobre a prorrogação das medidas de restrição e até que endureça algumas delas, mas também que seja aprovada uma prorrogação da ajuda econômica liberada no início do mês para compensar os setores afetados pelos fechamentos.

Essas indemnizações - de até 75% das perdas calculadas em relação à receita de um ano atrás - podem atingir entre 15 milhões e 20 milhões de euros, divulgou nessa terça-feira a imprensa alemã.

Tanto o governo da chanceler Angela Merkel quanto os governos regionais têm sido alertados de que a evolução das infecções não permite, hoje, amenizar as restrições.

Entre as novas medidas que devem ser discutidas na reunião de Merkel está a manutenção do fechamento das casas noturnas, restauração e vida cultural, entre outras, pelo menos até 20 de dezembro.

Prevê-se também que o início das férias escolares do Natal seja antecipado, e a recomendação aos cidadãos é que se submetam voluntariamente a alguns dias de quarentena ou redução dos contatos sociais antes das festas.

Está sendo estudada uma fórmula mista de atividade escolar, entre presencial e pela internet, de modo que os alunos sejam distribuídos em pequenos grupos fixos que alternam a frequência escolar com os deveres em casa.

Para a semana do Natal, e até o final do ano, serão permitidos encontros com até dez pessoas - ou seis, segundo critérios de alguns "Länder" mais restritivos. Da mesma forma, será recomendada - embora não seja proibido -- a ausência de fogos de artifício em festas privadas, principalmente na passagem de ano.

Ministro da Justiça testa positivo para covid-19

  • EBC
  • 24/11/2020 21:19
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
O ministro da Justiça André Mendonça

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, foi diagnosticado com covid-19, informou nesta terça-feira (24) o órgão, em comunicado distribuído para a imprensa. De acordo com a assessoria, o ministro “está bem e permanecerá em isolamento em casa nas próximas semanas”.

Mendonça é o 13º ministro do governo federal a ter sido infectado pela doença. O presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro também tiveram covid-19, em julho. Todos eles estão recuperados da infecção.

Funcionária do Carrefour testemunha de espancamento é presa

  • IG
  • 24/11/2020 20:15
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução / Twitter
Adriana Alves Dutra aparece em filmagens ameaçando pessoas que gravavam ação truculenta dos seguranças

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (24) a terceira pessoa envolvida no espancamento seguido da morte de João Alberto Silveira Freitas no Carrefour na última quinta (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

Adriana Alves Dutra , de 51 anos, é agente de fiscalização no mercado e aparece nas imagens ao lado dos seguranças. Ela foi presa nesta terça, e segundo a polícia, a funcionária se omitiu em relação às agressões cometidas contra o homem.

Em uma gravação, Adriana, em vez de intervir na cena, ameaça um motoboy que filmava as agressões tentando tomar o aparelho celular, para que evitasse a gravação.

Em depoimento , um outro funcionário do Carrefour alegou que alertou Adriana Alves a não 'conduzir situação daquela maneira', contudo, ela ordenou que ele voltasse para o interior do mercado pois 'não haviam fiscais no local'.

Os dois seguranças Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, que é policial militar temporário, foram presos em flagrante na noite do crime, na quinta-feira (19).

 

Covid-19: com indícios de uma segunda onda chegando, Brasil registra 630 óbitos e 31.100 casos confirmados em 24h

  • Redação com IG
  • 24/11/2020 20:11
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução / Internet
Coronavírus

O Brasil ultrapassou nesta terça-feira (24) a marca de 170 mil mortes pela Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Com indícios de uma segunda onda chegando no País, os óbitos registrados nas últimas 24 horas foram 360, enquanto os novos casos confirmados foram 31.100. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

De acordo com o conselho, as novas contaminações fizeram o total de pacientes com a doença chegarem a 6.118.708. Já as vítimas da doença são 170.115 pessoas. A taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil está em 2,8%.

Os dados incluem pessoas sintomáticas e assintomáticas, o que significa dizer que, nesse último caso, são pacientes que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Na segunda-feira (23), o número de óbitos era 169.485, enquanto o de pessoas com a doença era de 6.087.608.

De acordo com o conselho, as novas contaminações fizeram o total de pacientes com a doença chegarem a 6.118.708. Já as vítimas da doença são 170.115 pessoas. A taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil está em 2,8%.

Os dados incluem pessoas sintomáticas e assintomáticas, o que significa dizer que, nesse último caso, são pacientes que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Na segunda-feira (23), o número de óbitos era 169.485, enquanto o de pessoas com a doença era de 6.087.608.

São Paulo continua sendo o estado que tem mais mortes, com 41.455 das 170.115 ocorrências. A letalidade é de 3,4% no estado. Em segundo lugar vem o Rio de Janeiro, com 22.141 mortes e letalidade de 6,5%.

No quadro de casos confirmados, São Paulo também lidera a lista. O estado tem 1.215.844 pessoas infectadas pelo coronavírus. Em segundo lugar vem a Minas Gerais, com 399.536 vítimas de contaminação, sendo seguido por Rio de Bahia (387.786), Rio de Janeiro (340.833) e Ceará (292.633).

O estado menos afetado é o Acre, que tem registro de 715 mortes e soma 35.053 casos confirmados de contaminações pelo novo coronavírus desde o início da pandemia.

 

Menino de 3 anos faz pedido de R$ 400 no McDonald's pelo celular da mãe

  • UOL
  • 24/11/2020 17:13
  • Brasil/Mundo

Uma publicitária tomou um susto ontem à noite em Recife quando o porteiro do prédio anunciou que tinha uma entrega na qual ela não esperava. O filho de três anos pegou o celular da mãe para brincar e fez um mega pedido no McDonald's, no total de R$ 400, através de um aplicativo de entrega de comida. Ao UOL, ela disse que não sabia se ria ou se chorava de nervosa, mas depois do susto, concluiu que foi um gasto de dinheiro em terapia de risadas. Já o menino, se sentiu orgulhoso de ter feito o pedido, mas ainda ficou frustrado por não ter chegado o brinquedo que queria.

Raissa Wanderley de Andrade, 32 anos, foi tomar banho e deixou o celular com o filho, Luiz Antônio, mais conhecido como Tom, como faz normalmente. Quando estava no sofá com a mãe dela, depois de meia hora, recebeu com surpresa uma chamada pelo interfone dizendo que havia uma entrega.

"A princípio eu disse: 'Não, acho que é algum engano. Não pedi nada'. E disseram que estava no elevador. Eu imaginei que fosse alguém que tivesse mandado alguma coisa para mim. Daí quando eu cheguei na cozinha tinha lá um bocado de sacola do McDonald's. Eu fiquei sem entender, daí chamei o meu marido achando que ele podia ter feito alguma compra e eu não sabia. Antes de abrir as sacolas eu peguei a nota fiscal e vi que estava no meu nome, então peguei o celular e vi que tinha feito, na verdade, dois pedidos, um em seguida do outro. E daí eu já entendi na mesma hora que tinha sido ele [Tom]", lembrou a publicitária.

Raissa então questionou quem havia feito as compras e o filho não negou a autoria. "Ele falou todo orgulhoso. 'Fui eu mãe, foi Tom'. Eu ri e chorei de nervoso. Porque eu vi uma conta de R$ 400 e quanto mais eu tirava os pedidos, mais eu ria. Dez milk-shakes, eu, minha mãe e meu marido em casa, três adultos, ele e uma bebê de 11 meses. Eu falo esta história e rio. Acho que eu passei uma hora rindo e até concluí que foram R$ 400 de terapia do riso porque fazia tempo que eu não ria tanto", contou Raissa.

 

 

Morre o jornalista Fernando Vanucci, aos 69 anos

  • Extra
  • 24/11/2020 16:57
  • Brasil/Mundo
Rede TV
Fernando Vanucci

O jornalista, apresentador e comentarista Fernando Vanucci morreu nesta terça-feira, aos 69 anos, em Barueri (SP). Vanucci passou mal em casa e foi levado ao Pronto-Socorro Central da cidade, mas não resistiu. Ele deixa quatro filhos.

Conhecido pelo bordão "alô, você", o apresentador mineiro, nascido em Uberaba, começou a trabalhar aos 15 anos, na Rádio Sociedade Triângulo Mineiro, na sua cidade natal. Depois de passagens por outras rádios, teve longas passagens pela TV Globo em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Apresentou programas como o Globo Esporte e o Esporte Espetacular.

Também passou por RedeTV!, Bandeirantes, Record e Rede Brasil, onde trabalhava atualmente, como editor de Esportes. Cobriu seis Copas do Mundo (1978, 1982, 1986, 1990, 1994 e 1998) e torcia para o Botafogo.

Em 2019, Vanucci chegou a sofrer um infarto de grande porte. Internado no Hospital Oswaldo Cruz, passou por duas angioplastias. O jornalista ainda enfrentou uma depressão.

Brasil tem maior taxa de transmissão da Covid-19 desde maio, diz balanço

  • Uol
  • 24/11/2020 15:42
  • Brasil/Mundo
Foto: Renato S. Cerqueira / Estadão Conteúdo

A taxa de transmissão (rt) do novo coronavírus voltou a subir no país e já é a maior desde maio, de acordo com dados divulgados hoje pelo Centro de Controle de Epidemias do Imperial College, de Londres.

Nesta semana, a taxa passou a ser de 1,30, contra 1,10 no último balanço divulgado em 16 de novembro. Esse é o maior número desde a semana de 24 de maio, quando o índice atingiu 1,31.

A taxa de transmissão indica para quantas pessoas um paciente infectado consegue transmitir o vírus. Quando ele é maior que 1, cada infectado transmite a doença para mais de uma pessoa.

Com base nos novos número do Imperial College, um grupo de cem infectados transmitem o vírus para outras 130 pessoas, fazendo com que a doença se espalhe mais rapidamente.

De acordo com o levantamento divulgado ontem à noite pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, o Brasil soma 6.088.004 de casos e 169.541 mortes provocados pela covid-19 desde o início da pandemia.

Com uma média de 496 mortes nos últimos sete dias, o país teve uma variação de 51% com relação à taxa de duas semanas atrás, o que indica tendência de alta da média de óbitos.

De acordo com o Ministério da Saúde, 5.445.095 pessoas se recuperaram da doença e outras 473.028 seguem em acompanhamento.

Três regiões em alta

Segundo os dados do consórcio de veículos de imprensa, três regiões apresentaram tendência de aceleração na média de mortes: Centro-Oeste (42%), Sudeste (118%) e Sul (19%). Nordeste (-4%) e Norte (11%) tiveram estabilidade.

Onze estados tiveram alta nesta mesma taxa. Outros seis permaneceram estáveis e nove estados e o Distrito Federal registraram queda na média de óbitos.

É importante ressaltar, entretanto, que as altas em alguns estados podem ser explicadas pelo apagão de dados que o país viveu no início de novembro. No dia 6, a plataforma de registro de mortes por covid-19 do Ministério da Saúde começou a apresentar problemas e diversos estados relataram dificuldades em inserir dados na plataforma e-SUS.

O estado de São Paulo, por exemplo, foi um dos mais afetados, ficando sem divulgar mortes por cinco dias consecutivos.

Para medir a situação das mortes por causa da covid-19, especialistas indicam usar a média móvel dos óbitos, que calcula a média de registros observada nos últimos sete dias. A operação é a mais adequada para observar a tendência das estatísticas, por equilibrar as variações abruptas dos números ao longo da semana.

O consórcio de veículos de imprensa adotou esse período para verificar as oscilações na média móvel. É possível falar em queda nos números quando a diminuição é maior do que 15% se verificado nos últimos 14 dias —no caso, o período das duas últimas semanas. Caso os números aumentem mais do que 15%, há aceleração da epidemia. Valores intermediários indicam estabilidade.

Fiocruz: 130 milhões podem receber vacina de Oxford em 2021

  • Agência Brasil
  • 23/11/2020 22:04
  • Brasil/Mundo
Foto: Reuters
Vacina Astrazeneca

A vacina contra covid-19 que será produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com a farmacêutica Astrazeneca e a Universidade de Oxford deve chegar a 30 milhões de brasileiros a mais em 2021, aumentando o total de pessoas alcançadas no país até o fim do ano que vem para cerca de 130 milhões. O ganho de 30% deve ocorrer porque dados dos testes clínicos divulgados hoje (23) mostram que o protocolo de vacinação mais eficaz inclui uma dose reduzida na primeira aplicação, em vez de uma dose completa.

A Astrazeneca e a Universidade de Oxford anunciaram que o esquema de vacinação que prevê uma dose reduzida e uma dose completa, com um mês de intervalo, obteve eficácia de 90%. Já o protocolo com duas doses completas e o mesmo intervalo atingiu eficácia de 62%. Os dados analisados envolveram 11 mil voluntários, cerca de 2,7 mil com o protocolo mais eficaz e quase 8,9 mil com o protocolo de duas doses completas.

Não houve registro de eventos graves relacionados à segurança da vacina e nenhum dos voluntários que recebeu a vacina desenvolveu casos graves da covid-19 ou precisou ser hospitalizado.

O vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fundação Oswaldo Cruz, Marco Krieger, classificou a divulgação como uma boa notícia, já que confirmou a eficácia de 90% e trouxe um ganho adicional, uma vez que as 210 milhões de doses que a Fiocruz prevê fabricar no ano que vem poderão chegar a mais pessoas, caso os dados sejam confirmados na conclusão e publicação do estudo.

Produção e registro

A partir de acordo com o governo federal, os desenvolvedores da vacina já iniciaram o processo de transferência de tecnologia para que a Fiocruz produza o imunizante no país. No primeiro semestre, a fundação prevê disponibilizar 100 milhões de doses a partir de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado, e, no segundo semestre, cerca de 110 milhões de doses serão fabricadas já com IFA produzido na Fiocruz. Krieger explica que a previsão está mantida, e o que deve ocorrer é o fracionamento de doses.

Todo esse processo depende da confirmação e publicação dos resultados dos testes em humanos, e do registro do imunizante na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além de produzir a vacina, a Fiocruz também está encarregada de protocolar esse pedido de registro, que tem sido feito de forma parcelada desde outubro, em um processo chamado de submissão contínua.

A Anvisa já recebeu em outubro e novembro informações como os resultados dos estudos pré-clínicos e dados sobre manufatura e controle nas plantas industriais. No mês que vem, a Fiocruz deve encaminhar os resultados dos testes clínicos, o que inclui o protocolo recomendado a para vacinação.  

"Durante o peticionamento para as autoridades sanitárias, no nosso caso a Anvisa, será colocado que a eficácia de 90% foi utilizada com esse protocolo [com dose reduzida]. E esse protocolo que será o registrado. É muito importante que a gente utilize a vacina de acordo com os resultados no estudo clínico, porque ele garante duas informações: primeiro essa eficácia, que é muito alta; e, segundo, a segurança", disse Krieger, que mais uma vez pondera que isso depende da confirmação dos resultados.

A Fiocruz deve protocolar o último bloco de documentos em janeiro do ano que vem, quando também deve começar a produzir a vacina, antes mesmo da aprovação final Anvisa. O imunizante será produzido no Complexo Industrial de Bio-Manguinhos, que fica junto à sede da fundação, na zona norte do Rio de Janeiro. O objetivo de antecipar a produção é ter ao menos 30 milhões de doses até o fim de fevereiro, quando deve ficar pronto o parecer final da Anvisa com o registro da vacina, caso todos os testes confirmem a segurança e a eficácia da vacina. Se esse cronograma se confirmar, Bio-Manguinhos deve entregar em março as primeiras 30 milhões doses ao Ministério da Saúde, para que sejam disponibilizadas à população.

Como funciona a vacina?

A vacina desenvolvida pela AstraZeneca e a Universidade de Oxford utiliza a tecnologia de vetor viral, em que uma sequência genética do novo coronavírus é inserido em outro vírus, incapaz de se replicar, para, então, ser injetada no corpo humano e gerar a resposta imunológica. 

O vetor usado é um adenovírus (vírus de resfriado) de chimpanzé, que transporta a sequência da proteína S do novo coronavírus. Essa é a proteína que forma a coroa de espinhos que dá o nome ao microorganismo, e esses espinhos são fundamentais no processo de invasão das células humanas. Os testes clínicos buscam comprovar que, uma vez vacinado, o corpo humano reconhecerá essa proteína e poderá produzir defesas que neutralizem sua ação, dificultando que uma pessoa adoeça ao ter contato com o novo coronavírus.

Até o momento, a mutabilidade do vírus não é considerada uma ameaça à eficácia da vacina, já que as mutações que têm sido observadas pela ciência não apresentam mudanças estruturais na proteína S, o que indica que vacinas que a adotem como alvo podem ser eficazes mesmo diante de mutações do novo coronavírus.

Brasil registra 16.207 novos casos do novo coronavírus e 302 óbitos nas últimas 24 horas

  • IG
  • 23/11/2020 18:40
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Coronavírus

O Brasil se aproxima da marca de 170 mil mortos pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), com mais de 6 milhões de infectados. O País registrou, nesta segunda-feira (23), 16.207 novos casos e 302  novas mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Até agora, foram confirmados 6.087.608 casos acumulados e 169.485 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Já a média móvel de mortes, também verificada pelo boletim, foi de 496. A média móvel de casos ficou em 30.163.

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

O ranking de número de mortes segue liderado pelo estado de São Paulo, que tem 41.276 óbitos causados pela Covid-19. O Rio de Janeiro continua em segundo lugar, com 22.028 mortes, seguido por Minas Gerais (9.294), Ceará (9.492), Pernambuco (8.926).

Os estados que registram maior número de casos são: São Paulo (1.210.625), Minas Gerais (398.014), Bahia (386.321), Rio de Janeiro (338.688) e o Ceará (292.663).

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da  pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 58 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 1,3 milhão morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins. O Brasil segue como o terceiro país do mundo em número de casos de Covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

 

Senadora Kátia Abreu é internada em São Paulo por complicações da Covid-19

  • Diário do Poder
  • 22/11/2020 18:00
  • Brasil/Mundo
Agência Brasil
Senadora Kátia Abreu

A senadora Kátia Abreu (PP) precisou ser internada, neste domingo (22), em decorrência de inflamação nos pulmões causada pela Covid-19. A parlamentar, que passa bem, deu entrada no Hospital Sírio-Libanês em São Paulo, foi medicada e tem quadro clínico estável.

Kátia já havia anunciado no Twitter que testou positivo para a doença na última terça-feira (17), ela seguia protocolo de isolamento social em sua casa, em Palmas, Tocantins. Ela foi a São Paulo para receber tratamento clínico em um voo particular.

A assessoria de senadora ainda não informou se as atividades parlamentares serão mantidas durante o período de tratamento. outras quatro pessoas da equipe de Kátia também testaram positivo para a doença, mas não foram divulgados os nomes e nem o estado de saúde.