Brasil/Mundo

Após 56 dias, média móvel de mortes por Covid-19 fica abaixo de 2 mil

  • IG
  • 11/05/2021 22:04
  • Brasil/Mundo
Foto: Estadão
Paciente internado com Covid-19.
Paciente internado com Covid-19.

Nesta terça-feira (11), a  média móvel de mortes por Covid-19 no Brasil atingiu o menor patamar desde 16 de março deste ano, totalizando uma média de 1.993 óbitos diários, após quase dois meses superior a 2 mil. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Também nas últimas 24 horas, o país registrou 2.311 mortes por Covid-19 e totalizou 425.540 óbitos acumulados desde o início da pandemia. Já são 111 dias seguidos no Brasil com a média de mortes acima da marca de mil.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 15.282.705 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 72.715 desses confirmados no último dia. A média móvel de casos nos últimos 7 dias voltou a subir e foi de 60.831 novos diagnósticos por dia.

Estados

O ranking de estados com mais mortes pela Covid-19 é liderado por São Paulo (101.660), Rio de Janeiro (46.770) e Minas Gerais (36.122). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.549), Amapá (1.595) e Acre (1.599).

Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, com mais de 3 milhões de casos. Minas Gerais, com 1,4 milhão, e Rio Grande do Sul, com pouco mais de 1 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de Covid-19 é o Acre, com 79.510, seguido por Roraima (98.575) e Amapá (108.094).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 159 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 3,3 milhões morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

EUA autorizam vacina da Pfizer para faixa etária de 12 a 15 anos

  • Reuters
  • 11/05/2021 16:31
  • Brasil/Mundo
(REUTERS/Dado Ruvic)
Vacina da Pfizer
Vacina da Pfizer

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos autorizou a vacina contra covid-19 da Pfizer e da parceira BioNTech para uso em crianças a partir de 12 anos, ampliando o programa de vacinação do país.

A vacina está disponível nos EUA sob uma autorização de uso emergencial para pessoas a partir dos 16 anos. A Pfizer/BioNTech disseram que iniciaram o processo de aprovação total para essas idades na semana passada.

Nesta segunda-feira (10), a FDA afirmou que estava fazendo alterações para incluir milhões de crianças de 12 a 15 anos.

É a primeira vacina contra a covid-19 a ser autorizada nos Estados Unidos para essa faixa etária, vista como um passo importante para levar as crianças de volta às escolas com segurança.

O presidente dos EUA, Joe Biden, pediu aos estados que disponibilizassem a vacina aos adolescentes mais jovens imediatamente.

"A ação de hoje permite que uma população mais jovem seja protegida da Covid-19, aproximando-nos de retornar a um senso de normalidade e acabar com a pandemia", disse a comissária em exercício da FDA, Janet Woodcock, em um comunicado.

“Os pais e responsáveis podem ter certeza de que a agência realizou uma revisão rigorosa e completa de todos os dados disponíveis, como fizemos com todas as nossas autorizações de uso emergencial da vacina contra a covid-19.”

A maioria das crianças com covid-19 desenvolve apenas sintomas leves ou nenhum sintoma. No entanto, as crianças correm o risco de adoecer gravemente e ainda podem transmitir o vírus.

Houve surtos relacionados a eventos esportivos e outras atividades para crianças nessa faixa etária.

CPI: Anvisa explica entraves na aprovação da vacina Sputnik V

  • Agência Brasil
  • 11/05/2021 16:03
  • Brasil/Mundo
© Jefferson Rudy/Agência Senado/Direitos Reservados

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia nesta terça-feira (11), o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, disse que, de 58 países listados pela Rússia como utilizadores da Sputnik V, 24 não adotavam o vacina à época da análise do pedido de uso emergencial do imunizante, em 26 de abril, pela agência brasileira.

Aos senadores, Barra Torres explicou, que dos países que aprovaram o uso do produto, com exceção de México e Argentina, nenhum outro tem órgãos sanitários nos moldes da Anvisa. O diretor-presidente ressaltou que a Sputnik V foi a primeira vacina aprovada no mundo, por seu país de origem, sem a apresentação de estudos clínicos de Fase 3, última etapa necessária para o pedido de registro. Segundo ele, documentos publicitários do imunizante davam conta de que o Brasil estava entre os países na última fase de estudos quando sequer estavam sendo feitos testes no país.

 

Liberação

Especificamente sobre a situação atual do processo para aprovação da Sputnik V, Barra Torres explicou que o pedido de autorização da vacina está parado na Anvisa, aguardando informações da União Química. Apesar das observações, ele pediu que,  caso o imunizante seja aprovado, a população não desconfie da segurança. "Não pegamos vacina e colocamos no microscópio. A análise é feita a partir dos documentos apresentados", disse. “O que conclamo àqueles que nos assistem é que, tão logo essa situação seja resolvida – e esperamos que seja resolvida –, não se credite a essa marca, a esse nome, a essa vacina [Sputnik V] nenhuma característica ruim”, completou.

Antonio Barra Torres justificou que a última negativa do pedido de autorização excepcional para a importação do imunizante russo se deu, entre outros pontos, ao fato de a Anvisa não ter recebido um relatório técnico capaz de comprovar que a Sputnik V atende a padrões de qualidade e que o adenovírus usado para carregar o material genético do coronavírus é capaz de se reproduzir. O Fundo Soberano Russo, responsável pela Sputnik V, enviou à Anvisa documento em que nega a presença de adenovírus replicante em amostras da vacina. Apesar disso, Barra Torres disse que o documento “afirma, mas não comprova” a alegação.

O diretor-presidente disse que não conhece representante diplomático dos Estados Unidos. Também negou que o Ministério da Saúde esteja trabalhando ou interferindo no processo de análise de autorização da Sputnik V.

Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (CPIPANDEMIA) realiza oitiva do diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Comissão Parlamentar de Inquérito investiga ações do governo federal no enfrentamento da
CPI de Inquérito da Pandemia ouve o diretor-presidente da Anvisa - Edilson Rodrigues/Agência Senado/Direitos reservados

Covaxin

Sobre a rejeição da importação da vacina da Índia, Covaxin, Antonio Barra Torres disse que a motivação foi uma série de falhas apresentadas nos estudos do imunizante. O Brasil receberia 20 milhões de doses da Índia após contrato assinado pelo Ministério da Saúde. Também em março, a agência havia negado o Certificado de Boas Práticas de Fabricação ao laboratório indiano Bharat Biotech, responsável pela produção.

"A Índia tem uma tradição de responder rápido a esses apontamentos, e o Ministério da Saúde tem feito reuniões com a Anvisa a respeito desse novo pedido de importação, para que essas discrepâncias sejam sanadas. E acreditamos que nos próximos dias pode haver novo pedido por parte do ministério", adiantou.

 

Judicialização

Ao responder sobre judicialização da pandemia, Torres afirmou que, no caso da aprovação de vacinas, a análise deve ser científica. “Na questão dos prazos, ela [a Justiça] gera a situação de que a análise científica [das vacinas] tem de ser feita num determinado prazo temporal. Somos legalistas, cumprimos o que a lei determina", disse. Por outro lado, o diretor-presidente avaliou que em casos de constatação de que há histórico de deslizes, de condutas inadequadas de uma agência reguladora, a ação judicial é positiva para corrigir distorções.

 

Tratamento

Perguntado sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, Barra Torres negou que tenha havido pressão do governo federal sobre a Anvisa para a aprovação do medicamento. O diretor-presidente confirmou que foi levantada a possibilidade de mudar a bula, em uma reunião de ministros, mas lembrou que, na ocasião, sua avaliação foi a de que “aquilo não poderia ser”.

"Só quem pode modificar a bula de um medicamento registrado é a agência reguladora do país [ Anvisa], mas desde que solicitado pelo detentor do registro”, acrescentou.

Para combater o vírus, Torres também defendeu uma política de vacinação, que considerou "essencial". Para ele, mesmo com a imunização, as pessoas não devem abrir mão do uso de máscara e álcool em gel, além de respeitar o isolamento social.

Ao lembrar as vacinações da população ao longo da vida, o diretor-presidente da Anvisa disse que "discordar de vacinas não guarda uma razoabilidade histórica" e que a população deve se orientar  principalmente pelo que está sendo preconizado pelos órgãos que têm linha de frente no enfrentamento da doença.

Caso Tatiane Spitzner: Manvailer é condenado a 31 anos por matar a mulher

  • UOL
  • 10/05/2021 20:45
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Tatiane Spitzner foi encontrada morta após queda do 4º andar do apartamento em que morava com Luis Felipe Manvailer
Tatiane Spitzner foi encontrada morta após queda do 4º andar do apartamento em que morava com Luis Felipe Manvailer

Após sete dias de julgamento, o juiz Adriano Scussiatto condenou o biólogo Luis Felipe Manvailer a 31 anos, 9 meses e 18 dias de reclusão pelo homicídio qualificado de sua mulher, a advogada Tatiane Spitzner. O juiz afirmou que a vítima vivia um relacionamento abusivo com Manvailer e considerou como qualificadores do assassinato feminicídio, meio cruel, motivo fútil, além de fraude processual. O réu também foi condenado a indenizar os familiares de Tatiane em R$ 100 mil por danos morais.

Tatiane Spitzner foi encontrada morta no dia 22 em julho de 2018, depois de uma queda do quarto andar do prédio em que morava com Manvailer, em Guarapuava, no Paraná. Desde o começo da investigação, o biológo era o único suspeito pela morte da mulher.

A decisão foi dada por sete jurados, todos homens, que foram sorteados no início do julgamento para compor o Conselho de Sentença. O júri seguiu a denúncia feita pelo Ministério Público que diz que Manvailer agrediu, asfixiou e matou Spitzner e depois lançou seu corpo pela sacada.

Durante a leitura da sentença, o juiz André Scussiatto relembrou outros casos de feminicídios de repercussão nacional, como os casos de Ângela Diniz e Eloá Cristina, entre outros.

O professor e biólogo poderá recorrer da decisão, mas não em liberdade. Sua defesa já avisou que recorrerá.

Brasil registra 1.018 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

  • UOL
  • 10/05/2021 20:40
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Coronavírus
Coronavírus

Nas últimas 24 horas, foram registradas 1.018 mortes por Covid-19 no Brasil. Com isso, o total de óbitos chegou a 423.436. Os dados são obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa  junto às secretarias estaduais de saúde.

É importante lembrar, porém, que os números costumam ser mais baixos na segunda-feira, uma vez que há um represamento de dados devido ao final de semana.

A média móvel de mortes continua acima de dois mil. Hoje, o valor referente aos últimos sete dias foi 2.087. Este é o 55º dia consecutivo que o número está acima de dois mil. 

Nesta segunda, foram registrados 31.811 novos casos de covid-19. Desde o começo da pandemia, foram feitos 15.214.030 diagnósticos de coronavírus.

Os dados não representam quando os óbitos e diagnósticos de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a constar das bases oficiais dos governos.

Dados do Ministério da Saúde

Em boletim divulgado nesta segunda-feira (10), o Ministério da Saúde informou que o Brasil registrou 889 novas mortes causadas pela covid-19 entre ontem e hoje. Desde o início da pandemia, houve 423.229 óbitos provocados pela doença.

Pelos números do Ministério, houve 25.200 diagnósticos positivos para o novo coronavírus em todo o país nas últimas 24 horas. O total de infectados subiu para 15.209.990 desde março de 2020.

Segundo o governo federal, 13.759.125 pessoas se recuperaram da doença até o momento, com outras 1.027.636 em acompanhamento.

STF dá prazo para Anvisa detalhar documentos pendentes da Sputnik V

  • Agência Brasil
  • 10/05/2021 18:41
  • Brasil/Mundo
Vladimir Gerdo/Tass/Reuters/Agência Brasil
Sputnik V.
Sputnik V.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski deu hoje (10) prazo de 48 horas para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informe quais documentos estão faltando para análise definitiva do pedido de autorização para importação e aplicação da vacina Sputnik V, usada na imunização contra a covid-19. O imunizante é produzido pelo Instituto Gamaleya, da Rússia.

A decisão foi tomada a partir de uma petição protocolada pelo governo do Maranhão, que, em conjunto com outros estados, aguarda autorização da Anvisa para aplicação dos imunizantes.  

“Preliminarmente, informe a Anvisa, em 48 horas, de maneira pormenorizada, quais os documentos faltantes para uma análise definitiva do pedido de autorização excepcional e temporária de importação e distribuição da vacina Sputnik V, subscrito pelo estado do Maranhão, sem prejuízo de franquear-lhe, de imediato, o pleno acesso aos autos do Processo SEI no 25351.908872/2021-00, o qual, segundo alega, tem sido obstado pela agência”, decidiu.  

No dia 26 de abril, a Anvisa negou a autorização para a importação e o uso emergencial do imunizante russo. Ao analisar os documentos recebidos, a agência apontou uma série de problemas, entre eles, a falta de alguns documentos e a presença de adenovírus com capacidade de replicação no corpo dos pacientes que receberem doses da vacina.

A reportagem entrou em contato com a agência e aguarda retorno.

Pai de MC Mirella perde ação por danos morais movida contra Sikêra Junior

  • Vanessa Alencar
  • 10/05/2021 14:21
  • Brasil/Mundo
Divulgação
Sikêra Júnior
Sikêra Júnior

O juiz Luiz Fernando Pinto, da 1ª Vara Cível da Justiça de São Paulo, julgou improcedente a ação de indenização por dano moral movida por Antônio Octávio Sierra Fernandez, pai da cantora e influenciadora digital MC Mirella, contra o apresentador Sikêra Junior. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (10).

O pai da cantora pedia uma indenização de R$ 30 mil devido a um comentário feito por Sikera, nas redes sociais, de que seria pai do irmão mais novo de MC Mirella. O fato aconteceu em outubro do ano passado.

Na contestação, Sikêra alegou que Antônio iniciou o contato virtual, proferindo várias ofensas contra ele, que respondeu de forma sarcástica à perseguição. O apresentador de TV também informou que o autor da ação apagou vários comentários públicos ofensivos direcionados a ele, antes de ingressar com a ação, e apresentou os comentários salvos no “direct” da rede social Instagram. 

“Analisando os documentos trazidos pelas partes, quanto aos comentários dirigidos a um e a outro por meio daquela mesma rede social, há que se considerar a existência de ofensas dirigidas por ambas as partes”, destaca trecho da decisão judicial. 

Em outra parte do documento, o magistrado frisou ainda que o autor da ação também não impugnou o fato alegado em contestação de que apagou os comentários feitos publicamente, dirigidos ao réu, antes do ingresso desta ação.

“Lembrando-se que a má-fé, ao contrário da boa-fé que se presume, deve restar devidamente caracterizada no processo para incidência das penalidades por má-fé, o que se não infere suficientemente da análise dos autos, esse requerimento não pode ser acolhido. Posto isso, julgo improcedente o pedido, respondendo o autor pelas custas, despesas processuais e por honorários advocatícios, arbitrados em 10% do valor da causa, atualizado desde o ajuizamento, com juros de mora de 1% ao mês a contar do trânsito em julgado. Declaro extinto o processo nos termos do art. 487, inciso I do Código de Processo”, concluiu o juiz em seu despacho.

 

 

.

Mulher ouve choro e encontra recém-nascido em matagal de Mongaguá

  • iG
  • 08/05/2021 17:47
  • Brasil/Mundo

Um recém-nascido foi encontrado dentro de uma mochila, em meio a um matagal, em Mongaguá , litoral sul de São Paulo. A criança ainda tinha o cordão umbilcal  e segundo a Polícia Militar já estava com hiportemia. Caso ocorreu na noite da última quinta-feira (6).

Uma estudante que voltava para casa passou pelo local, ouviu o choro que vinha da mata e resolveu averiguar. Em local de difícil acesso encontrou algo que parecia estar vivo enrolado em uma sacola de pano no interior de uma mochila. Ela chamou outros moradores e ao descobrirem o bebê, acionaram as autoridades. 

A Polícia Militar resgatou o menino e o levaram a um hospital da cidade, onde ele recebeu os primeiros atendimentos e depois foi transferido para o Hospital Regional de Itanhaém. Nasexta-feira (7) a criança estava internada na UTI pediátrica do hospital, em estado estável . O Conselho Tutelar foi acionado para acompanhar o caso. A ocorrência foi registrada como abandono de incapaz na Polícia Civil de Mongaguá. A pena de detenção varia de seis meses a três anos. A mãe do bebê é procurada pela polícia.  

Estágio de 20 toneladas de foguete chinês cairá na Terra até amanhã

  • Agência Brasil
  • 08/05/2021 16:20
  • Brasil/Mundo
© Reuters/cnsphoto Direitos Reservados

Um dos estágios do foguete chinês Longa Marcha CZ-5B cairá na Terra nas próximas horas, ainda com destino desconhecido. O foguete foi lançado em 29 de abril, com a missão de levar ao espaço o primeiro módulo da nova estação espacial da China, e o seu primeiro estágio deverá cair na Terra até amanhã (9). A peça, de 30 metros de altura e 20 toneladas, cairá sem controle e destino previsto.

O local exato da reentrada só será conhecido algumas horas antes de acontecer. “Temos esperança de que vá cair num lugar onde não fará mal a ninguém”, disse o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin. “Esperamos que no oceano, ou num lugar assim”, acrescentou. A queda do fragmento de foguete está sendo monitorada por organismos ligados à segurança aeronáutica e defesa. Eles têm, ao menos, conhecimento da órbita que ocupa e a que altitude se encontra.

O foguete Longa Marcha CZ-5B tem, no total, 57 metros. Mas seu compartimento de carga, na “ponta” do foguete, tem bem menos, cerca de 27 metros e 25 toneladas. O restante do foguete, se desprende do compartimento de carga assim que sua função no lançamento é cumprida. Após o desacoplamento, esses estágios podem voltar à órbita da Terra.

Todos os dias pequenos pedaços de lixo espacial reentram na atmosfera terrestre. Chama-se lixo espacial todo material que tem ficado em órbita terrestre desde o início da exploração do espaço. Os pequenos pedaços, ao caírem, provocam fricção com a atmosfera terrestre e acabam incinerados ou desintegrados, não havendo preocupação.

Já partes maiores, como é o caso do CZ-5B, podem conseguir ultrapassar essa barreira natural e atingir o solo. A aeronave conta com depósitos de combustível com revestimentos reforçados. São estes enormes depósitos que podem cair em zonas habitáveis e provocar grandes estragos.

*Com informações da agência RTP de notícias. 

Mortes por covid-19 batem recorde na Índia; estados impõem lockdowns

  • Reuters
  • 08/05/2021 14:54
  • Brasil/Mundo
© Dipa Chakraborty/Pacific Press/Sipa USA/Direitos reservados

A Índia registrou neste sábado (8) o maior número de mortes em um único dia por covid-19, com casos continuando a crescer e os estados adotam lockdowns mais rígidos.

O ministério da Saúde da Índia registrou 4.187 mortes nas últimas 24 horas, chegando a um total próximo de 240 mil. O Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde estima que a Índia terá um milhão de mortes por covid-19 até agosto.

Os casos subiram a 401.078 neste sábado, levando o total desde o começo da pandemia a 21,9 milhões.

Especialistas médicos dizem que os verdadeiros números de casos e mortes por covid-19 devem ser muito mais altos do que as contagens oficiais.

O Estado de Tamil Nadu, conhecido pelas suas fábricas automotivas como da BMW, Daimler ( Hyundai, Ford, Nissan e Renault ), afirmou que passaria de um lockdown parcial a um completo na segunda-feira (10), fechando o transporte público e lojas estatais de venda de álcool.

O vizinho Karnataka estendeu um fechamento total na noite de sexta-feira (7). A capital do Estado, Bengaluru, é um grande polo tecnológico, sede de escritórios de empresas como Google, Amazon e Cisco.

A Índia ainda não impôs um bloqueio nacional como fez durante sua primeira onda no ano passado, mas cerca de metade de todos os seus estados impôs um bloqueio total. O resto está em desligamento parcial.

Helicóptero cai em Belo Horizonte

  • G1
  • 08/05/2021 11:50
  • Brasil/Mundo
Foto: Globocop

Um helicóptero caiu em Belo Horizonte, na manhã deste sábado (8), no bairro Olhos D'Água, na Região Oeste. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente com a aeronave foi perto da Rua Adelino Testi.

A pessoa que ligou para os bombeiros disse a eles que o helicóptero decolou de seu condomínio e caiu numa mata. Quatro pessoas estavam dentro da aeronave.

Às 10h10, os militares informaram que não houve feridos graves. No horário, as vítimas estavam retornando a pé para um local mais seguro e de fácil acesso.

As viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que haviam se deslocado para o atendimento delas foram dispensadas.

Helicóptero caiu em Belo Horizonte neste sábado (8)  — Foto: Globocop
Helicóptero caiu em Belo Horizonte neste sábado (8) — Foto: Globocop

No último dia 20, um acidente no Aeroporto da Pampulha deixou um morto e dois feridos. Segundo a Infraero, o jato estava descendo na pista de pouso e não conseguiu parar. A aeronave foi para fora da pista, mas ainda dentro dos limites do aeroporto.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o copiloto Eustáquio Avelar, de 76 anos, que tinha ficado preso às ferragens, morreu no local.

Juíza aceita denúncia e torna Jairinho e Monique réus pela morte de Henry

  • iG
  • 08/05/2021 10:07
  • Brasil/Mundo
Reprodução
Monique e Jairinho
Monique e Jairinho

O vereador Jairinho e sua namorada, Monique Medeiros , se tornaram réus nesta sexta-feira (7) pela morte do menino Henry Borel , de 4 anos, e tiveram suas prisões temporárias convertidas em preventivas. A decisão foi tomada após a juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da Capital, aceitar denúncia contra o casal. A informação é do jornal Folha de S.Paulo .

A mãe e padrasto de Henry cumpriam prisão temporária desde 8 de abril, quando foram presos em endereço distinto de onde moravam. Agora na condição de réus, os dois têm prazo de dez dias para se manifestar.

No entendimento da magistrada, os dois estarem em endereços diferentes no momento da detenção pesou para a conversão da prisão deles de temporária para preventiva. A juíza também levou em consideração a ameaça de coação de testemunhas, já que a babá de Henry e a empegada doméstica tiveram que prestar um segundo depoimento à polícia.

"Para além da revolta generalizada que os apontados agentes atraíram contra si antes mesmo de serem denunciados pelo órgão com atribuição para tal, releva assinalar que o modus operandi das condutas incriminadas reforça o risco a que estará exposta a ordem pública, bem como a paz social, se soltos estiverem os ora acusados", escreveu Elizabeth.

"As circunstâncias do fato, pois, estão a reclamar a pronta resposta do Estado com a adoção da medida extrema provisória, até como forma de aplacar a nefasta sensação de impunidade", completou a magistrada.

Ainda segundo a juíza, o caso exige "a adoção da medida extrema de cautela" e "qualquer das medidas substitutivas, mais brandas" não "suficientes".

A decisão foi tomada um dia depois de o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciar Dr. Jairinho e Monique Medeiros pelo homicídio triplamente qualificado de Henry, no dia 8 de março. Ambos também foram denunciados pelos crimes de tortura, fraude processual e coação de testemunhas.

Monique ainda responderá por crime de falsidade ideológica pelo fato de, em 13 de fevereiro, ter prestado declaração falsa no Hospital Real D’Or, em Bangu, sobre as causas de um ferimento do filho.

Número de mortos na favela do Jacarezinho sobe para 28

  • Agência Brasil
  • 08/05/2021 08:05
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução/TV Globo
Operação em Jacarezinho
Operação em Jacarezinho

A Polícia Civil confirmou que subiu para 28 o número de mortos na operação de ontem (6) na favela do Jacarezinho, zona norte do Rio. O número foi ampliado, depois que três vítimas que deram entrada em hospitais públicos foram levadas hoje (7) para o Instituto Médico Legal (IML).  

Antes o número de mortos era de 25, entre eles o policial civil André Leonardo Frias, 48 anos, da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), morto com um tiro na cabeça quando desceu do carro blindado, junto com outros cinco policiais, porque o carro ficou impedido de seguir pela favela por causa de uma barricada colocada pelo tráfico no caminho.  

O disparo que matou o policial partiu de uma espécie de bunker, com furos no muro para passar o cano de armas de guerra, e aconteceu no momento em que a equipe chegava na comunidade, por volta das 6h.

 

OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil, seção do Estado do Rio de Janeiro (OAB-RJ), manifestou uma grande preocupação com o resultado da operação policial no Jacarezinho. Segundo a entidade, o número de vítimas coloca essa ação policial entre as mais letais da história do estado.

A OAB-RJ, disse em nota que operações de enfrentamento ao crime organizado são necessárias, mas devem ser feitas com inteligência e planejamento. “Salientamos que o norte permanente da atuação das forças de segurança deve ser a preservação de vidas, inclusive a dos próprios policiais”, diz a entidade.

A nota diz ainda que, independente das circunstâncias, as forças de segurança devem cumprir suas funções respeitando os direitos e garantias fundamentais previstos na Constituição Federal. “Nunca será aceitável que um braço do Estado opere acima das leis”. A Comissão de Direitos Humanos e Assistência Judiciária da OAB-RJ está acompanhando o caso.

 

MPRJ

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) está investigando as circunstâncias das mortes na ação policial no Jacarezinho para apurar se houve violações a direitos durante a operação.

“Todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em decorrência dos fatos ocorridos estão sendo tomadas pelo MPRJ, que na data de ontem esteve presente na comunidade, acompanhando os desdobramentos da operação. Cabe destacar ainda que o MPRJ acompanha a perícia nos corpos das pessoas mortas durante a intervenção policial”, informou a nota.

Os promotores estão recolhendo relatos e outros elementos para subsidiar as investigações. “Dentre esses elementos, foram recebidas comunicações de cidadãos, instituições, associações e coletivos, trazendo relatos, imagens e vídeos da operação, que foram imediatamente levados ao conhecimento da 1ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada da Capital, responsável pelo procedimento investigatório”.

Com 2.165 mortes por Covid em 24h, Brasil tem ligeira queda em média móvel

  • IG
  • 07/05/2021 21:07
  • Brasil/Mundo
Foto: Estadão
Paciente internado com Covid-19
Paciente internado com Covid-19

O Brasil registrou, nesta sexta-feira (7), 2.165 novas mortes por Covid-19. Assim, o país chega a 419.114 vítimas do novo coronavírus desde a chegada da pandemia - em março de 2020.

O número de contaminações chegou a 15.082.449, com 78.886 registros nas últimas 24 horas. A média móvel de mortes nos últimos 7 dias caiu de 2.252 para 2.190. Já a média móvel de contaminações registrou alta; foi de 58.984 a 60.491.

Já são 107 dias seguidos no Brasil com a média móvel de mortes  acima da marca de mil e 52 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 155 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 3,2 milhões morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

Susto: cavalo cai de telhado e vai parar em cozinha de residência

  • G1
  • 07/05/2021 16:50
  • Brasil/Mundo
Cortesia CCZ

Uma família residente no Residencial Monte Rey, em Presidente Prudente (SP), recebeu uma visita inesperada nesta semana: um cavalo que caiu do telhado direto na cozinha da casa. Os moradores não se feriram.

Conforme a polícia, na noite de terça-feira (4), o animal pastava em um terreno, que fica na mesma altura da residência, e parou em cima da casa.

Devido ao porte do equino, que tem cerca de 300 quilos, a estrutura da casa não suportou e cedeu, momento em que o cavalo “invadiu” a cozinha.

O animal sofreu uma leve escoriação e foi resgatado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Foguete chinês gigante em descida descontrolada pode cair em qualquer lugar do planeta

  • Metropoles
  • 07/05/2021 15:41
  • Brasil/Mundo
Getty
Foguete
Foguete

Pedaços do foguete chinês gigante Long March 5B cairão na terra em um local ainda desconhecido pelas autoridades americanas. O objeto mede 30 metros de largura e está a 170km de altura da superfície do planeta

Até agora, pouco se sabe sobre a queda do objeto, mas estima-se que ele deva entrar na atmosfera entra os dias 7 e 9 de maio.

Uma postagem do Comando Espacial do Governo dos EUA no Twitter anunciou que órgão está localizando o foguete, mas que o local exato em que ele cairá só poderá ser determinado poucas horas antes da queda.

O lixo espacial viaja a 28.000 km/h e se a equipe falhar na previsão do momento em que ele cairá em apenas meia hora, o erro na localização pode ser de mais de 10.000 km.

A expectativa é que o foguete caia entre em qualquer lugar entre os paralelos 42 Norte e 42 Sul. Ou seja, nas latitudes entre Nova York, Madri e Pequim, e entre o Chile e a Nova Zelândia.

Os cientistas, no entanto, ressaltam que as chances dos destroços causarem grandes estragos são pequenas, já que a maior parte deve ser incinerada no momento em que entrar na atmosfera terrestre. Além disso, como 70% da superfície do planeta é composta por água, há grandes chances de o foguete cair no oceano.

O Long March B5 enviou à órbita o módulo Tianhe, que fará parte da futura estação espacial chinesa. A expectativa era que o módulo realizasse queimas de combustível para se afastar da Terra, o que não aconteceu por um problema não revelado.

Senado aprova PL que dá a Mulher vítima de violência prioridade em programa habitacional

  • Agência Brasil
  • 06/05/2021 21:38
  • Brasil/Mundo
Agência Senado
Senado Federal
Senado Federal

O Senado aprovou hoje (6) o projeto de lei que dá à mulher vítima de violência doméstica prioridade em programas sociais de acesso à moradia. O objetivo é garantir, com a maior brevidade possível, a possibilidade de sua mudança para longe do agressor. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

“Oferecer saídas para as mulheres agredidas é um alento que está ao nosso alcance e certamente contribuirá para combater o flagelo da violência contra a mulher, requerendo para tanto apenas a reorganização de prioridades no acesso a programas sociais de moradia, sem custo adicional aos cofres públicos”, disse o relator, senador Paulo Rocha (PT-PA).

Nesse caso, os dados relativos à relação de beneficiários de programas habitacionais deverão ser anonimizados. “A medida é prudente, pois ajuda a proteger as beneficiárias contra exposição indevida de sua intimidade e contra novas violações de direitos”, disse o relator. 

Paulo Rocha ainda acatou uma emenda incluindo entre os casos prioritários as mulheres responsáveis financeiramente pela unidade familiar.

Brasil tem 2.531 mortes em 24h e ultrapassa 15 milhões de casos de Covid-19

  • UOL
  • 06/05/2021 21:21
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
Exame para detectar a Covid-19
Exame para detectar a Covid-19

O Brasil ultrapassou hoje a marca de 15 milhões de pessoas infectadas pela covid-19 desde que o primeiro caso foi notificado no país, em fevereiro de 2020. Com 72.559 novos infectados registrados desde as 20h de ontem, o total chegou a 15.009.023. 

Mais uma vez o país registrou mais de 2 mil novas mortes em um período de 24 horas. Foram 2.531 óbitos notificados pelas secretarias estaduais de saúde, totalizando 417.176 vítimas da doença segundo o consórcio de veículos de imprensa.

Com isso, a média semanal de mortes permanece acima dos 2 mil pelo 51º dia consecutivo. Isso significar dizer que, na última semana, 2.251 pessoas morreram por dia, em média, por complicações da infecção pelo novo coronavírus. 

Além disso, são 106 dia seguidos em que esse índice não fica abaixo de mil. No pico de contaminações e mortes do ano passado, o período mais longo havia sido de 31 dias.

Já de acordo com o governo federal, foram registradas 2.550 novas mortes nas últimas 24 horas, um total de 416.949 desde o início da pandemia. 

Pelo balanço do ministério da Saúde, 73.380 novos diagnósticos foram confirmados entre ontem e hoje, elevando o total de infectados para 15.003.563.

Desse total, 13.591.335 se recuperaram, com outras 995.279 em acompanhamento. Os dados não representam quando os óbitos e diagnósticos de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a constar das bases oficiais dos governos.pid=copiaecola

Operação no Jacarezinho deixa 25 mortos, provoca intenso tiroteio e tem fuga de bandidos

  • G1
  • 06/05/2021 14:30
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução/TV Globo
Operação em Jacarezinho
Operação em Jacarezinho

Uma operação da Polícia Civil do RJ contra o tráfico de drogas no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, deixou 25 pessoas mortas e provocou um intenso tiroteio no início da manhã desta quinta-feira (6).

O policial civil André Farias foi baleado na cabeça e morreu, segundo a polícia. A corporação afirma ainda que 24 suspeitos foram mortos, mas não esclareceu quem são as vítimas e a situação em que foram atingidas.

Dois passageiros do metrô foram baleados dentro de um vagão da linha 2, na altura da estação Triagem, e sobreviveram. Um morador foi atingido no pé, dentro de casa, e passa bem. Dois policiais civis também se feriram.

Vídeos registraram o som de rajadas, e explosões de bombas foram registradas em diferentes pontos da favela.

Moradores contaram que não conseguiam sair de casa — como uma noiva de casamento marcado e uma grávida com cesariana agendada, ambas para esta manhã. Devido ao confronto, a Clínica da Família Anthidio Dias da Silveira e outros dois postos de vacinação contra a Covid precisaram ser fechados.

 

Maior nº de mortes, apesar de restrição do STF

Segundo a plataforma digital Fogo Cruzado, que registra dados de violência armada desde julho de 2016, é o maior número de mortes durante uma operação da polícia em uma comunidade desde o início dos levantamentos.

Desde junho do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu operações em favelas durante a pandemia. A decisão permite ações apenas em "hipóteses absolutamente excepcionais".

Para isso, os agentes precisam comunicar ao Ministério Público sobre o motivo da operação. O G1 perguntou à polícia e ao MP qual foi o motivo apresentado, mas ainda não obteve resposta.

Um advogado da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) acompanha o caso.

Aliciamento de crianças e adolescentes

A Operação Exceptis investiga o aliciamento de crianças e adolescentes para ações criminosas, como assassinatos, roubos e até sequestros de trens da Supervia. A polícia afirma que o tráfico da região adota táticas de guerrilha, com armas pesadas e “soldados fardados”.

O Jacarezinho é considerado uma base do Comando Vermelho, a maior facção do tráfico de drogas em atividade no Rio. A comunidade é predominantemente plana, repleta de ruelas e cercada de barricadas instaladas pelo crime — o que dificulta o acesso de blindados, por exemplo.

O Globocop flagrou às 6h45 policiais avançando pelos trilhos da Supervia e do metrô — que cortam o Jacarezinho na superfície — e se abrigando em postes. Helicópteros da polícia, em apoio às equipes em terra, davam rasantes na comunidade (veja vídeo acima).

Às 7h30, criminosos com fuzis foram vistos pulando de laje em laje, em fuga (veja vídeo abaixo). Os homens passavam as armas de mão em mão pelos muros enquanto corriam pelos telhados das casas.

Durante a operação, não havia movimentação de moradores nas ruas e vielas do Jacarezinho.

A troca de tiros afetou a circulação da Linha 2 do metrô e dos ramais de Saracuruna e de Belford Roxo da Supervia — trens da Central não partiam para esses destinos.

Escutas identificaram 21 criminosos

Com a quebra dos dados telemáticos autorizada pela Justiça, foram identificados 21 integrantes do grupo criminoso, todos responsáveis por garantir o domínio territorial da região com utilização de armas de fogo.

A polícia identificou uma estrutura típica de guerra provida de centenas de “soldados” munidos com fuzis, pistolas, granadas, coletes balísticos, roupas camufladas e todo tipo de acessórios militares.

 

Motorista que ficou preso 2 anos na Rússia após levar remédio para sogro de jogador chega ao Rio

  • G1
  • 05/05/2021 20:58
  • Brasil/Mundo
Foto: G1
Robson Oliveira foi detido há dois anos por levar substância proibida em mala, a pedido da família do jogador Fernando, hoje no Beijing Guoan.
Robson Oliveira foi detido há dois anos por levar substância proibida em mala, a pedido da família do jogador Fernando, hoje no Beijing Guoan.

Desembarcou nesta quarta-feira (5) no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio, Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista do volante Fernando, ex-Spartak Moscou – atualmente no Beijing Guoan, da China.

"Não teve nada fácil. A última vez que me pesei lá eu tinha perdido 20 quilos", disse o motorista no Aeroporto Tom Jobim. "O fato de eu não falar a língua piorou mais ainda", acrescentou.

Robson foi preso na Rússia, em março de 2019, acusado de transportar duas caixas de Mytedom 10mg (cloridrato de metadona). O remédio é liberado no Brasil, mas considerado entorpecente na Rússia. A defesa de Robson justificou que a encomenda era para o sogro do volante Fernando, que estava na Rússia e sofre de dores crônicas

O drama de Robson revelado pelo Esporte Espetacular em setembro de 2019.

Robson foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O presidente tinha anunciado neste domingo (2), que o governo da Rússia autorizou o retorno do motorista.

"Sempre demos valor à liberdade. Tive contato com o [presidente russo Vladimir] Putin, que queria falar com o embaixador. E ele só podia assinar o indulto do Robson depois da condenação. A pena dele era de 20 anos de cadeia. Tivemos um trabalho silente de Relações Internacionais. O presidente Putin cumpriu a lei. Após a condenação, vamos buscar o indulto dele. Varias autoridades entraram no circuito. A nossa embaixada providenciou a retirada dele no presídio, até a nossa embaixada. Ele tava muito feliz. Ele foi fuzileiro por 3 anos, sabe da rigidez da caserna, mas nunca podia esperar tudo isso", disse Bolsonaro após o desembarque.

Família emocionada

"É igual o nascimento da criança. Aquela emoção gostosa. Esperamos que ele esteja bem, com saúde", disse no aeroporto a mãe de Robson, Vanda do Nascimento Oliveira, de 74 anos. Ela contou ter recebido a notícia do próprio filho de que ele estava solto, de madrugada. Um dos pedidos de Robson foi um churrasco, que será atendido pela família.

Assim como Vanda, o filho do jogador, Robson Santos, esteve no Aeroporto Tom Jobim, o Galeão, na Zona Norte do Rio, para receber o motorista. Ele afirmou que considera injustos os 2 anos que Robson permaneceu preso e que, apesar do alívio da liberdade, o tempo perdido não vai ser recuperado.

Caso Robson

Robson Oliveira e a esposa, Simone, trabalhavam para a família do jogador Fernando quando ele atuava no time Spartak, de Moscou. Atualmente, o jogador está no Beijing Guoan, da China.

Em uma das viagens para a Rússia, o motorista levou para a família de Fernando duas caixas de cloridrato de metadona – um medicamento legalizado no Brasil, mas proibido em território russo.

Na época, Robson Oliveira disse que não sabia o que havia na mala, e que a família havia indicado a existência apenas de roupas e mantimentos na bagagem.

O brasileiro acabou detido no aeroporto em Moscou, e foi preso trinta dias depois, acusado de ser dono do medicamento. Nem Fernando, nem a esposa do jogador, Rafaela Rivoredo, nem o pai de Rafaela, William Pereira de Faria, confirmaram para as autoridades russas que o medicamento era de William.

O sogro de Fernando, William Faria – a quem seria destinado o medicamento – não prestou qualquer esclarecimento para a polícia russa.

No dia 6 de junho de 2019, três meses após a prisão de Robson, Fernando disse em depoimento não saber de que modo os remédios foram recebidos por Robson no Brasil, nem a forma de entrega (na mala ou em caixas de remédios não empacotadas) e acrescentou que não mantinha contato com o sogro.

Fernando e a esposa se mudaram para a China ainda em 2019, após o jogador ter acertado uma transferência do Spartak para o Beijing Guoan. Os pais de Rafaela deixaram a Rússia uma semana após a prisão de Robson.


 

Brasil registra 2,8 mil mortes por Covid-19 em 24h e ultrapassa 414 mil óbitos

  • IG
  • 05/05/2021 18:57
  • Brasil/Mundo
Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress
 Covid-19
Covid-19

O Brasil registrou 2.811 mortes por  Covid-19  nas últimas 24 horas e totalizou, nesta quarta-feira (5), 414.399 óbitos acumulados desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 2.316.

Já são 105 dias seguidos no país com a  média móvel de mortes  acima da marca de mil e 50 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia. Os dados são do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 14.930.183 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 73.295 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 58.413 novos diagnósticos por dia. 

A contagem de casos realizada pelas Secretarias Estaduais de Saúde inclui pessoas sintomáticas ou assintomáticas; ou seja, neste último caso são pessoas que foram ou estão infectadas, mas não apresentaram sintomas da doença.

Desde o início de junho, o Conass divulga os números da pandemia da Covid-19 por conta de uma confusão com os dados do Ministério da Saúde. As informações dos secretários de saúde servem como base para a tabela oficial do governo, mas são publicadas cerca de uma hora antes.

Mais de 154 milhões pessoas foram infectadas em todo o mundo. Do total de doentes, mais de 3,2 milhões morreram, segundo a Universidade Johns Hopkins.

CPI da Covid: Mandetta expõe discórdia com Bolsonaro e diz que ciência foi ignorada

  • UOL
  • 04/05/2021 20:55
  • Brasil/Mundo
Foto: Agência Senado
Luiz Henrique Mandetta
Luiz Henrique Mandetta

Em depoimento de mais de sete horas hoje à CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse que alertou Jair Bolsonaro sobre a gravidade do coronavírus e expôs série de divergências com o presidente em relação à condução do governo federal no enfrentamento à pandemia.

Ao longo da fala, Mandetta — que não descarta se candidatar ao governo de Mato Grosso do Sul ou à Presidência da República em 2022 — ressaltou que suas ações ações à frente do ministério se basearam em evidências científicas, que várias sugestões não foram seguidas pela Presidência e que o comportamento do presidente teve "impacto" na crise sanitária.

"O que só me resta dizer [após fala inicial sobre sua gestão] foi a tomada de decisão em cima de três pilares: a defesa intransigente da vida, que foi o princípio número um - não haveria nenhuma vida que não fosse valorizada -, o SUS como meio para atingir e a ciência como elemento de decisão. Esses foram os três pilares sobre os quais construímos o eixo de prevenção, atenção, testagem, hospitalização e de monitoramento da doença", disse Mandetta.

"Nós [do Ministério] não tomamos nenhuma medida que não tenha sido pela ciência" e "todas as nossas orientações foram assertivas, foram pela ciência", acrescentou, em outros momentos.

Segundo Mandetta, apesar de Bolsonaro aparentemente entender as sugestões apresentadas, o presidente atuava de maneira contrária dias depois. 

"Cada vez que se conversava com o presidente, ele compreendia. A gente falava: 'Olha, não pode aglomerar; não vamos aglomerar; vamos usar máscara; usa o álcool gel'. Então, a gente saía de lá, sim, animado, porque era um corpo total que falava: 'ok.'. E ele compreendia, ele falava que ia ajudar. Só que passavam dois, três dias e ele voltava para aquela situação de aglomerar, de fazer as coisas", afirmou.

O presidente da República costuma se opor ao uso de máscara de proteção facial, ao isolamento social e já desdenhou de quem cobrava a compra de vacinas contra a covid-19. Mandetta afirmou que fazia alertas a Bolsonaro, inclusive com projeções de óbitos, e disponibilizou à CPI uma carta enviada a Bolsonaro em março de 2020 em que aconselhou que a Presidência da República revisse seu posicionamento.

O ex-ministro afirmou que o presidente contava com um aconselhamento paralelo constante, com a participação dos filhos políticos e de assessores de fora do Ministério da Saúde. O vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), inclusive, esteve em diversas reuniões sobre a pandemia tomando notas, relatou. 

Mandetta afirmou que o governo federal não quis promover uma campanha oficial contra a covid-19 e, devido à falta de um plano de comunicação, passou a conceder entrevistas diárias. Nas ocasiões, ele prestava informações, dava orientações e tirava dúvidas da imprensa.

Brasil tem 3.025 mortes por Covid-19 nas últimas 24h e supera 410 mil óbitos

  • IG
  • 04/05/2021 20:47
  • Brasil/Mundo
Foto: Estadão
Paciente internado com Covid-19.
Paciente internado com Covid-19.

Após uma segunda-feira de dados sensivelmente mais baixos por conta do represamento histórico que ocorre aos finais de semana, as secretarias estaduais de Saúde notificaram hoje 3.025 novas mortes causadas pela covid-19 em todo o Brasil. Assim, o total de mortos desde o início da pandemia é de 411.854. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa.

 Nos últimos sete dias, morreram, em média, 2.361 pessoas por dia por complicações da infecção. Este é o 104º dia consecutivo com média móvel acima de mil. Há 48 dias, desde 17 de março, o índice se mantém acima de 2 mil.

Com o acréscimo de 69.378 novos casos, já foram diagnosticadas 14.860.812 de pessoas em todo o território nacional. Os dados não representam quando os óbitos e diagnósticos de fato ocorreram, mas, sim, quando passaram a constar das bases oficiais dos governos.

Já de acordo com o Ministério da Saúde, foram reportadas 2.966 novas mortes nas últimas 24 horas, elevando o total de toda a pandemia para 411.588. Entre ontem e hoje, 77.359 novos diagnósticos positivos foram registrados, um total de 14.856.888 já contaminados pelo novo coronavírus.

Desse total, 13.442.996 pessoas se recuperaram da doença até o momento, com outras 1.002.304 em acompanhamento.

A pandemia nos estados 

Em duas regiões a média móvel de mortes é considerada estável: Nordeste (-4%) e Sul (-4%). Em outras três a média apresenta desaceleração: Centro-Oeste (-36%), Sudeste (-16%) e Norte (-26%). No geral, o Brasil apresenta um índice em estável (-15%) na variação de 14 dias.

 São onze estados com estabilidade nos registros, enquanto outros quatorze e o DF estão em queda. Apenas o estado de Pernambuco apresenta aceleração nas mortes, com 32%.

WhatsApp libera envio de dinheiro entre usuários pelo aplicativo no Brasil

  • CNN Brasil
  • 04/05/2021 20:31
  • Brasil/Mundo
Foto: Reprodução
WhatsApp
WhatsApp

O WhatsApp liberou nesta terça-feira (4) a função que permite receber e fazer pagamentos diretamente nas conversas, sem a cobrança de taxas. O recurso, chamado de WhatsApp Pay, começa a ser implementado gradualmente entre os usuários da plataforma nas próximas semanas. 

Com isso, segundo o aplicativo, o usuário pode "enviar dinheiro para a família, pagar sua parte de um presente de aniversário da sua tia ou dividir a conta do almoço com os amigos". 

O WhatsApp Pay já havia sido aprovado pelo Banco Central em 30 de março, mas só agora a função chegou ao público. 

Foram estabelecidos limites sobre os valores a serem transferidos. Os usuários podem enviar até R$ 1 mil por transação e receber 20 transferências por dia, com limite de R$ 5 mil por mês. 

Para realizar uma transação, é preciso usar o PIN do Facebook Pay ou a biometria do celular, e todos os dados serão protegidos com criptografia.

No WhatsApp, o usuário poderá cadastrar um cartão de débito, um múltiplo com função débito ou ainda um pré-pago das bandeiras Visa ou Mastercard e emitido por um dos bancos participantes (Banco do Brasil, Banco Inter, Bradesco, Itaú Unibanco, Nubank, Mercado Pago e Sicredi). Todas as transações serão processadas pela Cielo.

O Brasil é o segundo país onde o serviço de mensagens lança transferências de dinheiro. Na Índia, maior mercado do WhatsApp, com 400 milhões de usuários, o Facebook obteve aprovação para iniciar os serviços financeiros em novembro.

Liberação pelo BC

Em junho, o WhatsApp havia lançado seus serviços de pagamentos no Brasil, mas o Banco Central os suspendeu alguns dias depois, alegando que isso poderia prejudicar o sistema de pagamentos existente no país em termos de concorrência, eficiência e privacidade de dados.

Além de analisar a estrutura de rede de pagamentos que o Facebook usa, a autoridade monetária também exigiu que a rede social fosse uma empresa de serviços financeiros no Brasil regulada. O Facebook Pagamentos do Brasil se tornou um iniciador de pagamentos, com capital inicial de R$ 5 milhões.

Pagamentos para empresas

Mas o Banco Central ainda não deu sinal verde para que o WhatsApp lance pagamentos com comerciantes, serviço que deve ser pago, adicionando uma nova linha de receita para o WhatsApp. No ano passado, os pagamentos com cartão no Brasil totalizaram 2 trilhões de reais, um aumento de 8,2% em relação a 2019.

 O diretor de operações, Matthew Idema, disse que as conversas com o Banco Central ainda estão em andamento e que o Facebook espera que o lançamento de pagamentos aos lojistas ocorra este ano, recusando-se a comentar se será um serviço cobrado.

"Para o WhatsApp, o lançamento de pagamentos é interessante porque aumenta o uso do aplicativo", disse o executivo.