Record Minas Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A Polícia Civil indiciou os dois suspeitos de envolvimento em um assalto a um sítio em Paineiras, no centro-oeste de Minas Gerais. Eles devem responder por tentativa de latrocínio já que um dos assaltantes atirou no dono do imóvel. O crime aconteceu em fevereiro deste ano e, na ocasião, os bandidos obrigaram a mulher da vítima a beber o sangue do marido.  

Otaviano Lacerda, de 25 anos, e Daniel Silva Santos, de 24, foram presos alguns dias em Paineiras após o assalto e permanecem detidos no Presídio de Abaeté, na mesma região. Se condenados, eles poderão pegar até 15 anos de prisão.   

Segundo a PC, a dupla estaria envolvida ainda no assassinato de um rapaz de 18 anos, ocorrido em dezembro de 2014. Um terceiro homem, apontado como co-autor do assalto ao sítio, também foi indiciado, mas permanece foragido.  

Entenda o caso

Conforme as investigações, os jovens invadiram o sítio da família acreditando que encontrariam R$ 120 mil no imóvel. Depois de atirar no rosto do homem de 52 anos eles obrigaram a mulher dele a beber o sangue da vítima. Encapuzados, os bandidos reviraram gavetas e encontraram cerca de R$ 4.000, além de um celular. Como não localizaram outros produtos de valor, fugiram logo em seguida.  

No Facebook, a filha da vítima escreveu um desabafo.  

— Minha mãe não merecia ser torturada, ameaçada, amarrada e machucada do jeito que foi. Uma mulher aposentada que recebe salário mínimo [que só dá] para comprar os remédios de pressão, vende litros de leite na rua e esses canalhas fazem minha mãe beber até o sangue do meu padrasto que estava agonizando.  

Após o crime, o dono do sítio foi socorrido para um hospital da região.