Monitorar gestantes será uma das estratégias para a redução da mortalidade infantil

  • gilcacinara
  • 26/05/2009 11:04
  • Saúde
A qualificação da atenção ao pré-natal, ao parto e ao recém-nascido é um dos eixos prioritários do projeto Viva Vida, lançado esta semana pelo governo do Estado. O monitoramento de cada gestante pelas equipes do Programa Saúde da Família (PSF) será estratégia fundamental para a redução da mortalidade infantil e neonatal em pelo menos 5% até 2010.

O secretário de Estado da Saúde, Herbert Motta, aposta na parceria com os municípios para ampliar o número de consultas no pré-natal, bem como qualificar o atendimento. “O apoio dos gestores municipais e dos profissionais de saúde é essencial para nos ajudar na regularidade e qualidade do pré-natal. O trabalho que estamos encampando não está limitado apenas ao governo do Estado, mas também com a participação de toda a sociedade civil organizada na luta em defesa da vida”, explicou.

Com os exames médicos realizados no pré-natal, é possível identificar e reduzir alguns problemas de saúde que costumam atingir a mãe e seu bebê. O ideal é que as mães iniciem o pré-natal assim que souberem da gravidez. As consultas e exames permitem identificar problemas como hipertensão, anemia, infecção urinária e doenças transmissíveis pelo sangue de mãe para filho, como Aids e a sífilis. Alguns desses problemas podem causar o parto precoce, o aborto e trazer outras sérias conseqüências  para a mãe ou para o seu bebê.

Segundo a especialista em obstetrícia e gerente do Programa Saúde da Mulher da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Walquíria Taveiros, em 2008, em média, 85% das gestantes alagoanas realizaram entre quatro ou mais consultas no período pré-natal.

“É crescente o número de mulheres que tem procurado fazer o pré-natal. Nesse sentido, tem sido muito positivo o trabalho realizado pelas equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) em orientar as gestantes a procurar uma unidade de saúde do município para fazer o acompanhamento”, observou a especialista, acrescentando que por meio do Programa Saúde da Mulher, a Sesau desenvolve capacitação para os gestores da saúde com o objetivo de garantir uma melhor assistência nessa área, principalmente às gestantes.

Exames - O pré-natal consiste em um acompanhamento médico dado à gestante para verificar e diagnosticar doenças e alterações que possam comprometer a saúde materna e fetal. Até por volta do sétimo mês, as consultas devem ser mensais; a partir daí devem passar a ser quinzenais e semanais perto do nascimento do bebê. Em cada consulta deve ser verificada a pressão arterial, peso, medida do abdômen e auscultado os batimentos fetais, que são anotados pelo médico.

De acordo com a portaria 569/2000 do Ministério da Saúde, o pré-natal é obrigatório e garantido por lei. Com isso, as gestantes têm direito a exames de grupo sanguíneo e fator Rh; glicemia (avaliação da presença de diabetes); anti-HIV, além de exames de sífilis; de toxoplasmose (doença causada por um protozoário, que pode ser transmitido ao feto e causar má formação); de rubéola; urina; hepatite B e de ultra-sonografia.

Estratégia – O projeto Viva Vida prevê a expansão do número de equipes de Saúde da Família; ampliação de leitos de unidades de Terapia Intensiva (UTI) e Cuidados Intermediários (UCI) neonatais; regulação da atenção obstétrica e neonatal; ampliação  da rede de bancos de leite humano; qualificação dos profissionais para adoção do método mãe-canguru; aumento da cobertura e qualidade dos sistemas de Informações sobre Mortalidade (SIM) e Nascidos Vivos (Sinasc).

Somente este ano, serão investidos R$ 10 milhões para custeio do Programa Saúde da Família; até 2010, o governo vai injetar R$ 95 milhões na atenção básica dos 102 municípios alagoanos.
 

Alagoas ainda lidera o ranking nacional de mortalidade infantil, no entanto foi o estado do Nordeste que mais reduziu suas taxas entre os anos de 2000 e 2005. De acordo com SIM, em 2000 a taxa era de 31,38 por cada grupo de mil nascidos vivos; em 2005, o número caiu para 23,63; atualmente está em 18,67.