Reprodução/Rede Record 14389166837447

O agricultor de 45 anos acusado de estuprar as duas filhas durante dez anos foi condenado a quase 80 anos de prisão. De acordo com a investigação, ele teve seis "filhos netos" em Rio Negrinho (RS).

Em 11 de julho de 2014, o agricultor foi preso após uma denúncia anônima. Durante anos, as jovens foram estupradas,torturadas e ameaçadas. A mãe delas também era coagida para não denunciar os crimes.

Na época que os crimes foram descobertos, as filhas tinham 22 e 24 anos e uma, inclusive, estava grávida. Segundo a polícia, o suspeito teve três filhos com cada uma delas. Os "filhos netos" tinham entre um e nove anos.

Na sentença anunciada na segunda-feira (3), a juíza Monike Silva Póvias justificou a agilidade do processo por conta da repercussão e gravidade do caso. O agricultor foi condenado a 76 anos, dois meses e 20 dias em regime fechado.

Durante o processo, a defesa tentou alegar insanidade mental, mas um laudo psiquiátrico descartou esta hipótese. Em uma audiência realizada no início do ano, o acusado assumiu ser o pai dos "filhos netos". A paternidade também foi confirmada por um exame de DNA.

De acordo com a juíza, o réu pode recorrer da sentença, mas sem liberdade, caso haja recurso da defesa. O homem está preso no Presídio de Mafra.

As filhas, a mulher e as crianças ainda passam por tratamento psicológico. Elas se mudaram para outra cidade, mas o nome do município não pode ser informado. O nome do acusado também não foi divulgado, uma vez que as vítimas continuam usando o mesmo sobrenome.