Ascom - INSS Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Vice-Presidente Executivo da Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social- ANASPS. Paulo César Regis de Souza, disse hoje em Brasília que os servidores do INSS mais uma vez retiraram mais benefícios da folha, por motivos diversos, do que concederam novos benefícios, ao comparar com dados do DatANASPS as cessações (exclusões da folha) e as concessões de janeiro a junho de 2015.

Os números do DatANASPS são contundentes. De janeiro a julho de 2015 foram concedidos 2.884.876 benefícios no valor de R$ 2 bilhões 749 milhões e 89 mil reais e foram cessados (excluídos da folha)  2.901.128 benefícios no valor de R$ 3 bilhões 57 milhões 864 mil reais.

Mais uma vez falou mais alto a seriedade e a responsabilidade dos previdenciários, tão criticados e pouco reconhecidos, disse. Tão importante como conceder benefícios, sob a ótica de uma legislação complexa e que pune os servidores por eventuais erros e falhas – como se fossem fraudes – e excluir benefícios, pois apesar de mecanismos institucionais (sistemas corporativos) é preciso zelo profissional para que evitem fraudes.

Além disso, afirmou Paulo César, foram suspensos no mesmo período 123.331 benefícios

A cessação envolve benefícios previdenciários e assistenciais e encargos previdenciários da União.  

O maior grupo de cessação é de benefícios previdenciários e acidentários. Incluindo aposentadorias, pensões, auxílios doença e salário maternidade. Os auxílios doença, por exemplo, representaram em junho 62,77% da quantidade e 42,79% da despesa, respondendo por mais de 60%. As aposentadorias representaram 10,09% da quantidade e 27,33 da despesa. O salário maternidade representou 11,19% da quantidade e 10.09% da despesa. 

Paulo César revelou ainda que de janeiro a junho, antes da greve dos servidores, os servidores do INSS receberam 4,1 milhões de benefícios, sendo 2,1 milhões benefícios por incapacidade e 2,0 milhões demais benefícios. No período foram concedidos 2,5 milhões de benefícios, sendo 1,4 milhões de benefícios por incapacidade e 1,1 milhão de demais benefícios. Foram indeferidos 1.6 milhão de benefícios sendo,1,0 milhão de benefícios por incapacidade e 600 mil demais benefícios