Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

É realizada na Aldeia Katokinn, em Pariconha, de 24 a 26 de novembro, o Encontro das Lideranças Indígenas de Alagoas e Sergipe Katokinn de política indigenista. O primeiro dia do encontro iniciou com uma apresentação cultural do Povo Xocó com o cacique Bá, seguida da composição da mesa de abertura.

Na mesa estiveram presentes os representantes: Cicique Selmo Xucuru-Kariri; Cícero Jeripankó, Nina, Adelino e Jaime Katokinn, Antônio Karuazu, Zenus do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), Celso Xucuru, Júnior Apoinmé e Gecinaldo, representante do fórum de educação.

O prefeito Fabiano Ribeiro de Santana falou da afinidade que tem com a cultura indígena desde a chegada dele nas imediações locais, da forte população indígena local que chega a se totalizar em 60% em Pariconha. "Eu sempre tive prazer de acompanhar os movimentos indígenas pela beleza cultural e acolhida desse povo. Conheço várias etnias e tenho grandes amigos no meio", ressalta o gestor.

Para Maynamí, liderança do povo Xucuru-Kariri de Palmeira dos Índios, pouco se ver um prefeito tão atento às cauas indígenas em Alagoas e por onde ele passa. "Fico até surpreso em ver um prefeito tão atencioso e participativo em nosso movimento. Pariconha está de parabéns por ter uma liderança política como essa", finaliza. 

Os povos falaram sobre o contexto dos marcos históricos da construção da política indigenista em instância nacional e regional com ênfase nas mudanças advindas com o processo de conquista e consolidação dos direitos garantidos na Constituição de 1988. Com o tema PEC 215: demarcação de terras indígenas, o encontro reunirá lideranças indígenas, órgãos governamentais, entidades que atuam em defesa dos direitos dos povos e sociedade civil.

A programação do evento segue com as Rodas de Conversa Diagnóstico cujo objetivo é pontuar os marcos históricos da política indígena e indigenista na região e identificar os avanços e desafios para a consolidação da política indigenista nacional.