EUA encerram transmissões da TV analógica em todo o país

  • master
  • 12/06/2009 17:47
  • Brasil/Mundo

As estações de TV dos Estados Unidos deram início ao corte de todos os seus sinais analógicos, nesta sexta-feira (12), pondo fim ao uso da tecnologia que levou suas imagens para todos os cantos do país durante seis décadas. A data representa o prazo final para o processo de transição completa do sistema de radiodifusão para a tecnologia digital.

Segundo dados de uma pesquisa realizada pela Nielsen, cerca de 2,8 milhões de lares norte-americanos estão completamente despreparados para a transição, apesar do bombardeio de anúncios na TV propagando a iminente mudança, informou o "New York Times".

Outras 9,5 milhões de famílias não estão totalmente prontas para receber o sinal digital, o que significa que podem ter atualizado alguns de seus televisores, mas não todos. "Lares jovens, afroamericanos e hispânicos são desproporcionalmente mais despreparados, enquanto os lares de idosos são os que estão mais prontos", publicou o "TVNewsDay".

A transmissão digital traz índices mais elevados de qualidade de imagem e som, além de novos canais para os telespectadores.A Comissão Federal de Comunicações dos EUA (FCC, na sigla em inglês) colocou 4 mil operadores de plantão para receber chamadas de telespectadores ainda confusos com a mudança, além de criar centros demonstração da nova tecnologia digital em várias cidades norte-americanas.


Até o início da tarde desta sexta-feira, a FCC recebeu 122.389 chamadas, quase quatro vezes mais do que na quinta-feira (11), que tinha sido o dia mais movimentado até agora, disse o porta-voz do órgão, Mark Wigfield, à agência de notícias Associated Press.


O recém-disponível espectro analógico deixado pelas emissoras de TV será utilizado para serviços sem fio avançados e comunicações de emergência, ainda segundo a FCC. 

De acordo com o "New York Times", o governo dos EUA tinha a intenção de que a transição fosse iniciada em fevereiro, mas o processo sofreu um atraso de quatro meses, mesmo com a pressão feita pela administração Obama para uma rápida decisão do Congresso norte-americano.