BNB confirma recursos para novos empreendimentos em Alagoas

  • eduardocardeal
  • 16/06/2009 05:57
  • Política

“O Banco do Nordeste irá aplicar cerca de R$ 500 milhões em Alagoas através do FNE até 2010”, a afirmação é do diretor de Negócios do Banco do Nordeste, Sérgio Ferraro. Os recursos destinados aos novos empreendimentos em Alagoas foram tratados pelo secretário do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística, Luiz Otavio Gomes, em encontro com a diretoria do banco, em Salvador.

Segundo o secretário, a diretoria do BNB afirmou que mesmo possuindo um orçamento de R$ 7 bilhões para investir neste ano, existe uma lista de demandas no valor de R$ 14 bilhões. Com a resposta positiva de Ferraro estão asseguradas a instalação de diversos empreendimentos por todo o estado, especialmente no interior.

Dentre os empreendimentos em discussão está a indústria de alimentos Bauducco, que será construída em Rio Largo, gerando nesta primeira fase 500 empregos diretos.

Outra cidade contemplada é São Miguel dos Campos que terá uma unidade fabril da Embramaco (cerâmica branca). A empresa deve gerar mais de 350 empregos diretos no início da operação; e na área turística o Itacaré Partners, um resort de padrão seis estrelas, será construindo na cidade de Coruripe.

O secretário Luiz Otavio Gomes destacou que recebeu orientação do governador Teotonio Vilela Filho total empenho em descentralizar o desenvolvimento em Alagoas, levando empreendimentos a outras localidades. “O próprio governador orientou uma intensificação maior na política de geração de emprego e renda no interior do Estado por meio da instalação de indústrias e incentivo ao desenvolvimento de cadeias produtivas”, destacou o secretário.

Além da política de atração de indústrias, comércio e serviços, a Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Energia e Logística (Sedec) coordena ações de fomento aos setores que apresentam maior potencial econômico no Estado. Destaca-se a organização e mobilização das cadeias produtivas dos setores Químico e Plástico, Leite e Derivados, Têxtil e Confecções, e outros.

A renda gerada pela atividade artesanal é também considerada de grande importância para o movimento da economia do interior de Alagoas. A comercialização está relacionada diretamente com o desenvolvimento turístico, por isso, as ações são feitas em sinergia com os órgãos competentes, em especial, Secretaria de Estado do Turismo.

Desde março de 2008, todos os municípios alagoanos estão recebendo equipe técnica do Censo do Artesão, em que até o final do ano, será analisado e identificado o perfil do artesanato e seus profissionais para a elaboração de políticas públicas específicas.