Reprodução/ You Tube C7f99974 4968 47b5 8dd0 f738d20a7dc5 Bahia Boiadeiro

Nove meses depois do assassinato do vereador Adelmo Rodrigues de Melo, conhecido como “Neguinho Boiadeiro”,  policiais do Núcleo de Inteligência da Delegacia Geral da Polícia Civil, prenderam, na tarde de ontem,  Maiquel Alves da Silva. O preso é acusado de ser o autor material do crime.

Após a prisão do suspeito,  a família da vítima revelou à redação do CadaMinuto, nesta quinta-feira, dia 16, que ainda aguarda a elucidação do crime ocorrido no meio da rua e em plena luz do dia. “Não adianta prender os pistoleiros se os mandantes estão soltos, são candidatos e andam por ai com seguranças armados”, desabafou Bahia Boiadeiro, filha do vereador  assassinado.

Os familiares de Boiadeiro aguardam até hoje uma resposta sobre o crime e pedem maior celeridade às autoridades.  “Nós somos as vítimas e temos que nos esconder e viver espalhados para não morrer”, comentou Bahia.

Caso Neguinho Boiadeiro

Adelmo Rodrigues de Melo, 61 anos, (PSD),  conhecido popularmente como  “Neguinho Boiadeiro” foi assassinado a tiros no início da tarde do dia 9 de novembro de 2017,  por dois homens armados,  quando saia da sessão que estava sendo realizada na Câmara de Vereadores do município.

De acordo com testemunhas, “Neguinho Boiadeiro” foi morto por dois  homens armados, que aguardavam o parlamentar sair da Câmara Municipal, onde participava de  uma sessão.

Ao se dirigir a seu veículo após deixar a Casa Legislativa, o vereador foi assassinado com vários tiros de arma de fogo pelos homens, que em seguida fugiram do local do crime em um veículo de características desconhecidas.

Após o assassinato, policiais militares do 7º Batalhão de Polícia Militar do município de Santana do Ipanema,  reforçaram o policiamento em Batalha, realizando buscas no sentido de identificar e prender os suspeitos de executar o vereador e ferir um policial civil identificado como Joaquim Pirauá  que no momento do crime estava na companhia “Neguinho Boiadeiro”.

A Secretaria de Estado de Pública (SSP), enviou  dezenas de militares que integram o Batalhão de Operações Especiais (Bope)  para o município de Batalha. Os policiais  foram enviados de Maceió para o Sertão com o objetivo de garantir a tranquilidade no município, e garantir a  segurança das equipes  realizaram  os levantamentos iniciais da cena do crime.