Reprodução/ Blog do Fagno Pinto Bf5a885c 5362 4509 b573 de6e840c2d78

Desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira, (10) dezenas de mensagens em áudio circulam pelas redes sociais anunciando a morte, na própria cadeia, de um dos envolvidos no brutal assassinato da jovem Alyssandra Ferreira, na última sexta-feira (07).
 
Nos primeiros áudios, uma pessoa não identificada, em tom de voz bastante convincente anuncia a morte de um dos envolvidos.
 
...“Esse ai é o Artur, que a polícia prendeu, mas o “Didinho”, que é o “Galeguinho”, os caras mataram ele na prisão. A polícia veio avisar a mãe dele hoje”!
 
Em outro áudio, mais recente, outra pessoa também não identificada afirma que o fato é verdadeiro e diz que a polícia está encobrindo os fatos.
...”Disseram que mataram mesmo! Mataram dentro da prisão e a polícia está escondendo. Deve ter sido os outros presos”. Conclui.
 
A notícia, segundo agentes da Delegacia Regional de Batalha, é mais uma mentira que passada e repassadas em grupos de redes sociais “viralizaram” e muitas vezes se “tornam verdadeiras”.  Os agentes de plantão classificaram esses áudios de “Fake News”.
 
“Nenhum deles foi assassinado aqui, eles estão presos, isso posso afirmar! A “informação” de que um deles foi morto sob nossa custódia não passa de um “boato crime” e peço a todos que anunciem essa é mais uma notícia falsa”.
 
"Independente do crime que cometeram, os envolvidos no assassinado da Alyssandra serão punidos na forma da lei. Da mesma forma, abriremos um inquérito para apurar quem criou e espalhou tais notícias, para que também, na forma da lei, sejam punidos”. Afirmou o policial.