Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A desistência de profissionais para atuar no Mais Médicos em Alagoas, no lugar dos médicos cubanos, fez ampliar de 26 para 39 o número de vagas ainda em aberto no Estado, segundo levantamento do Ministério da Saúde, que revisou neste fim de semana o número de municípios que ainda não preencheram todas as vagas deixadas pelos profissionais de Cuba. 

De acordo com o ministério, o número de municípios cujas vagas ainda não haviam sido preenchidas saltou de 19 para 25, o correspondente a 53,1% dos 47 municípios que tinham profissionais cubanos. Na região do Sertão de Alagoas, os municípios são: Olivença, Olho D'Água do Casado, Santana do Ipanema e Dois Riachos que já tinham zerado as vagas, voltaram ofertar.

Em Alagoas, o programa Mais Médicos está presente em 70 municípios - 47 deles tinham  profissionais cubanos. Ao todo, 231 profissionais atuam em Alagoas, sendo 127 deles, cubanos. Cacimbinhas, Campestre e  Colônia Leopoldina também encontram-se com vagas em aberto. Em três municípios - Pariconha, Porto Real do Colégio e São Sebastião - os médicos atuam em Distritos Sanitário Especial Indígena (DSEI), segundo o edital do programa. Nesses locais, ainda há duas vagas em aberto, segundo o levantamento do Ministério da Saúde.

Na região Nordeste, Alagoas é o terceiro estado com o menor número de vagas disponíveis. Sergipe tem a menor oferta, com doze vagas. Na outra ponta, o Maranhão aparece com o maior número de vagas, com 209, seguido da Bahia (200), Ceará (69), Pernambuco (67) e Piauí (57). 

"Ao todo, 5.846 médicos se apresentaram nas cidades escolhidas ou iniciaram as atividades. Os profissionais que já estão homologados e desistiram dos postos tiveram as vagas colocadas de volta ao edital do Mais Médicos", informou o ministério, em nota.

Número de vagas disponíveis no Nordeste

Alagoas 39

Bahia 200

Ceará 69

Maranhão 209

Paraíba 25

Pernambuco 67

Piauí 57

Rio Grande do Norte 21

Sergipe 12