Motorista de Kombi invade contramão e colide com ônibus

  • annaclaudia
  • 21/06/2009 15:49
  • Maceió
O motorista de uma Kombi, de placa JLA 6239, provocou na tarde deste domingo (21) um acidente com um ônibus no cruzamento da Avenida da Paz com a Barão de Anadia, no Centro da capital alagoana. No acidente, que não teve grandes proporções, apenas o motorista da Kombi, identificado como André, sofreu escoriações.

O rapaz, invadiu a contramão e colidiu frontalmente com um coletivo da empresa Cidade de Maceió, que fazia a linha Forene/ Trapiche, de placa MUM 6559, causando um grande susto aos passageiros.

Testemunhas disseram que o rapaz estava visivelmente embriagado. Após a colisão, André conseguiu sair do veículo e tentou fugir do local. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada e prestou os primeiros socorros ao rapaz, que foi encaminhado em seguida para o Hospital Geral do Estado (HGE).

O motorista do coletivo, Benedito Caetano dos Santos, 47, explicou que uma tragédia poderia ter ocorrido caso o veículo estivesse em alta velocidade. "A sorte foi que o ônibus estava parado. Quando o semáforo abriu e dei partida no ônibus, só vi a pancada", disse. Tanto a dianteiro do ônibus como a da Kombi ficaram totalmente destruídas.

A kombi não pertencia ao rapaz. A proprietária esteve no local para recolher alguns materiais que estavam dentro do veículo. Segundo Geraldo Azevedo, André pediu as chaves da Kombi dizendo que era para buscar umas coisas. "Ele trabalha comigo e estávamos numa festa aqui perto. Ele saiu com o veículo sem autorização da proprietária", disse.

Policiais do Bptran e perícia do Detran estiveram no local. De acordo com os levantamentos, o rapaz estava inabilitado e os documentos de porte obrigatório tanto da Kombi como do ônibus não estavam no local. O procedimento correto seria o recolhimento dos veículos, o que não foi feito. "O detran não possui guincho e teremos que liberar os veículos para que o trânsito não continue interditado. Os dois veículos estão irregulares, mas por falta de estrutura, não poderemos recolhê-los", desabafou.