Pedro Teia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Os passageiros das lanchas que realizam diariamente o trajeto nas águas do rio São Francisco, entre a cidade de Pão de Açúcar/AL, e o povoado Niterói, no município de Porto da Folha/SE, terão que aguardar, obrigatoriamente, o espaço de 1 hora, entre a saída de uma embarcação e outra, para poderem realizar a travessia, de mais ou menos 500 metros de distância. A determinação ocorreu por parte de representantes da Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ - durante uma reunião com a associação que representa os lancheiros, ocorrida durante a última semana, em Pão de Açúcar.

Com a determinação, nenhum piloto de lancha que realiza essa travessia poderá transportar o passageiro até a outra margem do rio, ainda que o mesmo queira pagar a mais pela viagem, ou seja, se o passageiro se dispor a pagar um frete para chegar mais rapidamente ao seu destino , o lancheiro não poderá aceitar a oferta e nem realizar a travessia, sob pena de ter sua lancha autuada e de ser multado, mesmo estando no horário da sua escala. Na prática, todos os passageiros serão obrigados a aguardar por, no mínimo, uma hora, para que possam atravessar o rio em uma dessas lanchas.

Vários donos de embarcações consideram que as novas regras geram prejuízo aos passageiros e aos próprios trabalhadores, pois, apesar do interstício de tempo de 1h, já ter tido entrado em vigor desde já algum tempo, as lanchas que cumpriam escala estavam autorizadas a conduzir qualquer passageiro à outra margem do rio, quando ocorria o pagamento do frete pelos tais, o que agora é terminantemente proibido.

Veja também: Chefe Regional da ANTAQ esclarece sobre tempo de travessia entre Pão de Açúcar e Nitéroi, SE