Buscas às caixas-pretas do voo AF447 continuam, diz França

  • eduardocardeal
  • 24/06/2009 01:03
  • Brasil/Mundo
O Escritório de Investigações e Análises para a Aviação Civil (BEA), órgão responsável pela apuração das causas do acidente com o voo 447 da Air France, assegurou nesta terça-feira, 23, em comunicado oficial a continuidade dos trabalhos de buscas pelas caixas-pretas do Airbus. "Nenhum sinal imanente das balizas acústicas dos gravadores de voo foi confirmado até hoje. Os trabalhos são regularmente realizados para levantar as dúvidas sobre os ruídos localizados".

A reportagem do jornal Le Monde afirmando que os sinais sonoros dos equipamentos, rastreados por navios e submarinos, haviam sido identificados, gerou expectativa. "Nós todos tivemos uma esperança", reconheceu Dominique Bussereau, secretário de Transportes da França, em declaração ao parlamento francês. "Ainda temos alguns dias e vamos investir todos os meios possíveis para localizar as caixas-pretas."

Mas ainda pela manhã a Marinha da França negou que tenha localizado os sinais sonoros emitidos pelas balizas presas às caixas-pretas. "Foram detectados sinais sonoros, mas não há nada verificado até o momento, infelizmente", afirmou Philippe Guillemet, comandante do navio Pourquoi Pas?, que organiza as buscas. Porta-voz do Estado-Maior das Forças Armadas, Patrick Prazuck revelou que várias emissões de rádio similares às das balizas foram localizadas até o momento, mas nenhuma foi confirmada como sendo das caixas-pretas.

A luta, agora, é contra o relógio. As balizas têm autonomia média de 30 dias para seguir emitindo as ondas de rádio que permitem identificá-las no fundo do oceano. Restam sete dias para o fim desse prazo. As duas caixas-pretas - o Flight Data Recorder (FDR), que registra os parâmetros de voo, e o Cockpit Voice Recorder (CVR), que grava as conversas de som na cabine de pilotagem - são considerados instrumentos importantes, talvez cruciais, da investigação.

Destroços e passageiros

Os comandos da Marinha e da Aeronáutica informaram que só foram avistadas pequenas quantidades de materiais diversos no mar nesta terça, mas nenhum sinal de corpos. Segundo nota da Força Aérea Brasileira (FAB), as atividades aéreas de buscas sobre coordenação do Senegal foram suspensas, após o recebimento de uma mensagem do Centre de Coordination de Sauvetage (CCS). A partir de agora, então, apenas os aviões coordenados pelo SalvAero Recife continuam nos trabalhos de buscas.