Diferente do que se costuma pensar as peças descartadas não são necessariamente obsoletas. É preciso observá-las de uma outra forma para que seja forma possível visualizar novas utilidades. Veja como é feito o reaproveitamento de madeira na arquitetura e design.

Utilidades da madeira reaproveitada

Os escritórios de arquitetura em São Paulo, bem como o escritório de arquitetura em São Caetano do Sul, utilizam esses materiais tanto para confeccionar novos móveis, como também para fazer o revestimento de cômodos.

Mas não se preocupe ao pensar que o escritório de arquitetura em sp, assim como o escritório de arquitetura no ABC utilizam produtos que não estão em um bom estado de conservação. Antes de mais nada eles fazem uma inspeção para saber qual a real condição, e o tempo de vida útil que ele ainda tem.

Via de regra as madeiras de melhor qualidade são as de demolição. Além de agregar mais sustentabilidade para os projetos, conhecida como arquitetura verde, essa prática também é uma excelente alternativa para valorizar o imóvel, isso porque esse tipo de madeira é mais nobre do que a recém-extraída, por exemplo.

Independentemente do móvel que será construído, é de suma importância que tanto os arquitetos corporativos em sp, bem como os arquitetos residenciais em sp e também os arquitetos comerciais encaminhem as peças para o processo de limpeza, bem como de alinhamento e do tratamento contra pragas.

Alguns dos itens que podem ser confeccionados no design mobiliário para sua casa são as bandejas de refeições, relógios, além de prateleiras a partir de armários, sapateira proveniente de materiais de ripas e caixotes, e de mesas.

Vantagens de fazer o reaproveitamento de madeira

Existem diversas razões pelas quais os escritórios de arquitetura em santo andré devem investir mais no reaproveitamento de madeira. A começar pela consciência ambiental que além de reduzir os danos para o meio ambiente e da quantidade de resíduos destinadas para os aterros sanitários, é uma excelente alternativa para reduzir custos no gerenciamento de obras.

Além disso, é uma forma de estimular a economia, uma vez que há uma geração de empregos no caso dos marceneiros e demais funcionários responsáveis pela realização desses serviços, tal e qual os que comercializam essas peças.