Cortesia de Internauta Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em menos de 24h após o crime, suspeitos foram presos sob acusação de um homicídio ocorrido na madrugada de terça-feira (29), na cidade de Olho d´Água das Flores, Sertão alagoano. De acordo com informações, o setor de inteligência do 7º BPM de Santana do Ipanema em parceria com 0 35º Distrito Policial de Olho d´Água das Flores teriam obtido a informação de que um dos acusados na morte do morador de Olho d´Água das Flores, identificado como: Clevison Maia ''Quequinha'', de 29 anos, estaria no município de Palestina.

Uma testemunha ocular do assassinato contou a  Polícia que acusados e vítima estavam consumindo bebida alcóolica em um bar, desde o final da tarde de segunda-feira (28), dia anterior ao crime, e quando o estabelecimento teria fechado, por volta da meia-noite, ele e os acusados ficaram na porta. Enquanto bebia no bar, Jurandir teria se dirigido a “Kequinha” cobrando uma dívida pela compra de drogas a “Manchinha”. “Você tem dinheiro para beber, mas não tem para pagar o dinheiro”, teria dito o acusado.

A testemunha narra ainda que “Kequinha” dormia na calçada quando foi acordado a chutes. Em seguida, os dois acusados espancaram a vítima a pauladas. Jurandir chegou a fugir para a cidade de Palestina, com um filho menor, mas acabou localizado e preso, horas depois. “Manchinha” foi preso em casa, em Olho d'Água das Flores. “Jura”, que já foi preso em São Paulo, confessou a participação no crime, afirmando que “Manchinha” havia prometido R$ 300 para que dessem uma surra em “Kequinha”. Mas, alega que foi “Manchinha” quem deu a paulada que resultou na morte da vítima.

Jurandir Alves Cordeiro, de 21 anos. Jurandir após ser preso teria passado a localização do segundo suspeito que estaria em Olho d´Água. O segundo suspeito identificado como: Ednaldo do Nascimento, conhecido como ''Manchinha'', de 36 anos. Ambos foram presos no final da tarde de terça-feira (29) pelo Pelotão de Operações Especiais (PELOPES), se encontram no 35° Distrito Policial a disposição da justiça.