Gripe suína provoca queda do tráfego aéreo de passageiros

  • annaclaudia
  • 25/06/2009 09:08
  • Negócios

O vírus da gripe suína afetou o tráfego aéreo mundial de passageiros em maio, e o do México em particular, epicentro da doença, onde o tráfego caiu quase 40% em ritmo anual, informa a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata).

Maio, marcado por uma queda do tráfego mundial de 9,3%, foi o primeiro mês completo que registrou o impacto da gripe A(H1N1) nas viagens, destaca a Iata em um comunicado.

O texto destaca que o tráfego das companhias latinoamericanas caiu 9,2% em maio na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Estas empresas registraram ainda a menor taxa de ocupação de todas as regiões: apesar de um aumento de 0,2% na capacidade dos aviões, foram vendidas 64,7% das passagens, 6,7% a menos que em maio de 2008.

No cenário mundial, a taxa de ocupação foi de 71,2% em maio, contra 74,5% há um ano.

A demanda mundial em maio, no entanto, foi melhor que em fevereiro e março, quando o tráfego de passageiros caiu mais de 10%. Em abril o tráfego melhorou, apoiado pelo feriado da Semana Santa, com uma queda de apenas 3,1% em ritmo anual.

Segundo a Iata, o impacto global da gripe A(H1N1) em maio se traduziu em uma redução de 1% do tráfego aéreo mundial.

A gripe A(H1N1), declarada a primeira pandemia do século pela Organização Mundial da Saúde (OMS), agravou resultados já negativos há alguns meses em consequência da crise econômica.