Rodoviários pedem intermediação da Arsal em negociação salarial com empresas

  • gilcacinara
  • 25/06/2009 11:03
  • Maceió
Representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sinttro/AL) reuniram-se na manhã desta quinta-feira, 25, com o presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), Waldo Wanderley, para solicitar a intermediação do órgão na negociação salarial entre a categoria e as empresas de ônibus e o reforço no combate ao transporte clandestino de passageiros.

Os trabalhadores não concordaram com o aumento de 4,5% proposto pelas empresas e ameaçam paralisar as atividades. Segundo eles, os empresários de ônibus alegam que são prejudicados pela concorrência desleal com os transportadores clandestinos.

Durante o encontro que aconteceu na sede da Agência, Waldo Wanderley relatou as operações de fiscalização realizadas pela Arsal em todos os pontos do Estado e disse que a situação só deve melhorar significativamente após a licitação do Sistema Intermunicipal de Transporte Rodoviário de Passageiros. “Com a licitação, o sistema será reorganizado e, além da fiscalização de rotina nas rodovias, vamos investir na fiscalização eletrônica, com rastreamento via satélite dos veículos, onde será possível acompanhar o cumprimento de itinerários e horários”, afirmou

O presidente da Arsal disse que entrará em contato com as empresas de ônibus para agendar uma reunião entre a Arsal, empresários e trabalhadores antes da audiência marcada para o dia 1º de julho no Ministério do Trabalho.

Os representantes do Sinttro também cobraram da Arsal a realização de fiscalizações em parceria com a Delegacia Regional do Trabalho (DRT), a fim de coibir o descumprimento de obrigações trabalhistas. “Já foram realizadas duas operações em conjunto com a DRT e vamos reforçar que estamos à disposição do órgão para aumentar a frequência dessas operações”, frisou Wanderley.

Licitação

O edital de licitação para o Sistema de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros está na Procuradoria Geral do Estado, de onde seguirá para o Gabinete Civil e para a Comissão de Licitação do Governo. Paralelamente a publicação do edital, que deve acontecer nos próximos meses, o projeto que altera a Lei 6267, conferindo mais suporte a fiscalização da Agência Reguladora, será encaminhado para a Assembleia Legislativa.