Edilson Omena Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Após habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), José Márcio Cavalcante de Melo, o Baixinho Boiadeiro deixou o presídio Cyridião Durval, nesta quinta (23), onde estava preso desde fevereiro de 2019. Ele ficará em prisão domiciliar e será monitorado por tornozeleira eletrônica.

Baixinho Boiadeiro é acusado de tentar matar o empresário Emilio Dantas, no mesmo dia em que seu pai, Neguinho Boiadeiro, foi morto a tiros após sair da Câmara Municipal de Batalha, no Sertão alagoano, em 2017.

Segundo a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), Baixinho Boiadeiro conseguiu a liberdade, mas será monitorado por tornozeleira eletrônica e terá que obedecer algumas restrições estabelecidas, como se apresentar uma vez por mês à Justiça e não manter contato ou aproximação com a vítima.

A prisão de Boiadeiro foi decretada quando ele compareceu ao julgamento no qual era julgado junto com seus irmãos, irmãos Anselmo Cavalcante de Melo, o Pretinho Boiadeiro, e Thiago Ferreira dos Santos. Eles foram condenados pela morte de Samuel Theomar Bezerra Cavalcante, ex-cunhado do então prefeito Paulo Dantas e do sargento reformado da Polícia Militar, Edvaldo Joaquim de Matos, ocorrido há mais de 13 anos.

Em setembro de 2019 a Justiça anulou o júri após apelação da defesa, que alegou a participação de uma estagiária do Poder Judiciário no Tribunal do Júri.

Como Baixinho estava foragido e havia mandados de prisão aberto em seu desfavor pela morte de Tony Pretinho e pela tentativa de homicídio contra Emilio Dantas, ele recebeu voz de prisão no dia do julgamento.