Acusado de matar estudante na Rádio USP é condenado a 18 anos de prisão

  • gilcacinara
  • 26/06/2009 06:40
  • Brasil/Mundo

O ex-estudante de jornalismo Fábio Le Senechal Nanni foi condenado a 18 anos de prisão  pelo assassinato do estudante de comunicação Rafael Azevedo Fortes Alves, crime que ocorreu em outubro de 2005. O julgamento foi realizado nesta quinta-feira (25) no 5º Tribunal do Júri do Fórum da Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo, e durou 11 horas - terminou por volta das 21h, de acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo.

De acordo com a sentença proferida pelo juiz Cassiano Ricardo Zorzi Rocha, do 5º Tribunal do Júri de São Paulo, o réu deverá cumprir a pena de 18 anos de prisão em regime inicialmente fechado. O crime aconteceu no Rádio USP, onde Rafael estagiava. O jovem morreu após levar uma facada no peito.

O pai do estudante assassinado, Ricardo Fortes, de 61 anos, assistiu ao julgamento, com esperança de que o acusado fosse condenado. Para o pai de Rafael, o crime foi premeditado e ele disse não acreditar nas alegações da defesa de que o acusado  sofre de transtornos mentais. “Foi uma atitude de inveja, premeditada. Estão querendo distorcer falando que ele tem problemas mentais”, criticou o pai da vítima. 

Em depoimento ao juiz, o psiquiatra Irineu César Silveira dos Reis, que prestou depoimento no júri como testemunha de defesa, disse que Nanni sofre de transtorno obsessivo-compulsivo e de depressão. “Diria que ele não é um indivíduo que ofereça qualquer risco a alguém”, disse o psiquiatra, ao ser questionado pela defesa do acusado se ele pode voltar ao convívio da sociedade.