Arapiraca é a 12ª cidade do país onde mais se geram empregos

  • Redação c/ assessoria
  • 27/04/2015 09:31
  • Política

Na quinta-feira (23) dsta semana, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou os dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) no país. Entre as 20 cidades que mais geraram emprego, Arapiraca, no Agreste de Alagoas e segunda maior cidade do estado, está em 12º lugar neste ranking.

Para o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, este levantamento demonstra que o mercado formal de trabalho gerou 19.282 empregos com carteira assinada no mês de março. O que representa um aumento de 0,05% em relação ao mês anterior.

Segundo o ministro, esse crescimento ressalta o reaquecimento do mercado de trabalho que voltou a gerar vagas após três meses consecutivos de queda. O resultado é superior ao registrado no mesmo período de 2014, quando foram gerados 13.117 postos de trabalho.

A expectativa do ministro Manoel Dias é que neste mês de abril e nos próximos o crescimento permaneça e o mercado siga na tendência do crescimento. "Tivemos um janeiro negativo, um fevereiro que estabilizou e março já geramos emprego. A expectativa é de um abril ainda melhor”, avaliou.

No acumulado de2015, o saldo de vagas formais ainda está com mais de 50,3 mil postos de trabalho no vermelho. E na lista das cidades que mais criaram empregos formais neste ano quem se destacou em Alagoas não foi a capital Maceió, mas sim a interiorana Arapiraca, considerada a capital do Agreste do estado. Os dados seguem a tendência nacional em que cidades do interior superaram as capitais.

Os setores do comércio e de serviços são responsáveis por este crescimento de Arapiraca. A gestão da prefeita Célia Rocha (PTB) tem valorizado e ressaltado a abertura de empregos com incentivos de novas empresas que se instalaram na região.

Exemplo disto, é a empresa de Call Center AeC que se instalou este ano na cidade, no térreo do Garden Shopping Arapiraca e gerou mais de 1.500 empregos diretos. Neste mês de abril, por incentivo da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (Semics), vem selecionando mais de cinco mil pessoas para ocuparem novos postos de trabalho no setor.

Com um comércio forte e aquecido, o que faz fomentar a economia local e crescimento dos setores comércio e serviços, Arapiraca se desenvolveu a partir da década de 1970 com a cultura do fumo, que ainda resiste e cria vagas de trabalho na zona rural da cidade, porém, não tem a mesma força àquela época.

“Essa notícia nos trás muita felicidade e aponta que estamos trabalhando no caminho certo pelo desenvolvimento e crescimento de Arapiraca, é o que estamos priorizando em nossa gestão”, apontou a prefeita Célia Rocha.

Outras fontes de trabalho que aquecem a economia local estão também na geração de emprego na construção civil. A prefeita Célia Rocha aponta o mais recente empreendimento lançado na cidade pela iniciativa do industrial José Alexandre, do Grupo Coringa, em um consórcio com os grupos Terral e Urb4, empresas consolidadas no país. Trata-se do Residencial Riviera do Lago que já está gerando mais de dois mil empregos indiretos no setor.

Além desse fomento à economia local, a Prefeitura de Arapiraca incentiva diretamente a criação de vagas de trabalho pela Casa Integrada do Trabalhador - CIT/Sine. Semanalmente são divulgadas vagas em diversas áreas profissionais à procura de mão-de-obra na cidade.

E diretamente a administração da prefeita Célia Rocha tem contribuído para o crescimento de postos de trabalho. Até hoje já foram garantidos 733 empregos em concurso público e estágios remunerados para estudantes com níveis técnico e superior.

Serviços – Em termos setoriais, os dados mostram que dos 8 setores da economia, 4 registraram crescimento, com destaque para o setor de Serviços (53.778 postos ou 0,31%) - saldo superior ao registrado no mesmo mês em 2014,  quando foram gerados 37.453 postos; Administração Pública (3.012 postos ou +0,33%); Comércio (2.684 postos ou +0,03%) - saldo positivo após três meses de queda e superior a março de 2014 quando o setor perdeu 26.251 postos. A Construção Civil ainda não teve recuperação, perdendo 18.205 postos, uma queda de  0,60% e Indústria de Transformação com queda de 0,18%, perdeu 14.683 postos de trabalho no mês.

Segundo o levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a cidade do interior do país que mais gerou vagas de trabalho é Franca, no estado de São Paulo, com 6.083 vagas.

Veja a relação das 20 cidades que se destacaram com a abertura de postos de trabalho em abril deste ano: