Reprodução/ You Tube Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A enfermeira Érica Regina encontrou a solução para  melhora em casos graves do Covid-19, a profissional de enfermagem, de 32 anos, é natural do município de Major Izidoro, Sertão de Alagoas, e funcionária efetiva do estado de Sergipe desde 2013, onde atua em um Hospital no município de Nossa Senhora da Glória, Sertão de Sergipe. Érica teria recebido a paciente de 46 anos diagnosticada com o Covid-19 em estado grave, no dia 27 de abril no Hospital Regional de Glória, a paciente teria sido transferida do município de Porto da Folha, com a dispnéia grave, para ser intubada por desconforto respiratório causado pelo Covid-19.

O Minuto Sertão conversou com a enfermeira Érica Regina, via rede social, e ela relatou como se deu o tratamento que resultou na melhora da paciente que afirma estar curada e também uma punição que estaria sofrendo apesar de ter permissão para o uso do tratamento. 

''O ozônio foi descoberto na 2° guerra mundial; é uma terapia natural, mistura dos gases oxigênio medicinal e ozônio, onde na própria lei que o regulamenta no SUS, dispõe ser uma terapia que não causa danos! Em vários países como Alemanha, Cuba, essa terapia faz parte do serviço público em todas as unidades e é extremamente difundido. Já é aplicado em vários países para o coronavírus, como por exemplo a China, Itália, Espanha, Ucrânia, Argentina, Cuba e outros; com vários estudos. Tenho ligação com uma referência mundial em Ozônioterapia na Espanha, Dr juan Pérez Olmedo, que desenvolve esse trabalho por lá!

Trabalho com ozônio a um certo tempo, e o que fiz, foi aplicar o protocolo utilizado com sucesso na Espanha, aqui no Brasil. Apliquei em um hospital do SUS, uma terapia regulamentada pelo SUS. Recebi a paciente as 20h45min, do dia 27/04, no hospital regional de Gloria, transferida de Porto da Folha, com dispnéia grave, para ser intubada por desconforto respiratório causado pelo COVID 19. Conversei com o médico e com a paciente que me autorizaram o uso da terapia complementar. Ressalto que tenho termo de consentimento assinado pela paciente. A paciente teve melhora incrível logo após a aplicação da terapia, não sendo mais necessário a intubação. Permaneci com a paciente até o dia 02/05; direto dentro do hospital, mesmo sem estar em escala, aplicando a terapia, monitorando e registrando a melhora da paciente. O médico comunicou a alta da paciente no dia 01, e no momento que ele a comunicou dessa decisão, eu não contive a emoção e fiz um vídeo'', disse a enfermeira Érica.

O vídeo que Érica se refere tem repercutido nas redes sociais, onde a paciente identificada como: Rosangela Farias dos Santos, de 46 anos, tratada por ela aparece emocionada e afirma acreditar estar curada do novo coronavírus. A paciente ficou no hospital em tratamento hospitalar, com supervisão de toda equipe médica, de enfermagem e com o auxílio da enfermeira. Além do vídeo da paciente, há também o vídeo gravado por Érica onde ela também aparece emocionada informando a sua alegria em dar alta a primeira paciente diagnosticada com o Covid-19 no Hospital em que trabalha.

Embora a paciente revele acreditar estar curada após o tratamento, Érica afirma ser cedo para afirmar ser ''cura'', porém o tratamento foi eficaz para a paciente em estado grave com o Covid-19.

Veja o vídeo abaixo:

 

Repercussão do vídeo da paciente tratada pela Enfermeira Érica

O vídeo da paciente afirmando estar curada do novo coronavírus após o tratamento de Ozônioterapia utilizado pela enfermeira Érica, tem repercutido nas redes sociais nos estados de Sergipe e Alagoas. Apesar disso, após a divulgação segundo a enfermeira alagoana: ''A Secretaria Estadual de Saúde de Sergipe teria cancelado a alta da paciente prevista para o dia 1° de maio, para o dia seguinte, eu fui peça para sair do hospital e no dia 03, ela mesmo em excelente estado geral, foi transferida para o HOSPITAL DA POLÍCIA MILITAR, na capital Aracaju, por onde passou por avaliação de uma junta médica, realização de vários exames e permanece lá aguardado o resultado''.

Uma nota emitida pela secretaria estadual de saúde de Sergipe teria afirmado que a profissional estaria gerando  uma falsa esperança de cura na população através de tratamento não autorizado, mesmo após o resultado positivo da paciente que afirmou se sentir curada em vídeo. Veja a nota:

Nota da SES

A Secretaria de Estado da Saúde apura conduta de uma enfermeira do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória que divulgou vídeo afirmando que realizou tratamento alternativo de ozonioterapia em favor de um paciente com Covid-19.

A Direção do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória afirmou que já está tomando todas as providência cabíveis em relação à profissional que não tem autorização para realizar experimentos nos pacientes.

Na próxima segunda-feira, 4, a enfermeira será ouvida, assim como o médico que prescreveu o tratamento. A SES lamenta que profissionais estejam  gerando uma falsa esperança de cura na população através de tratamento não autorizado.

Ascom
02/05/2020

Apesar da nota, a Ozonioterapia já era realizada em outros pacientes no hospital, inclusive familiares da diretora. O Conselho de enfermagem teria autorizado a realização da terapia com a devida capacitação exigida, segundo a enfermeira, conforme publicação em site do Conselho. ''Fui chamada pela diretora da unidade, Recebi uma advertência verbal;Proibição de realizar ozônio dentro do hospital E suspensão por 60 dias, da comissão de feridas, que eu realizo na unidade a quase 3 anos. Soube ontem por uma reportagem em rádio que eu irei responder a um processo administrativo pela secretaria de estado, com possibilidade de iniciação de processo ético e civil''.

Enfermeira alagoana recebe apoio de renomado médico americano e da população

Após a punição por parte da secretaria estadual de saúde de Sergipe a enfermeira Érica, o renomado médico americano Robert Rowen, postou em seu perfil em uma rede social uma nota em apoio a enfermeira. Uma matéria publicada em um site do Estado de Sergipe trás detalhes: Veja aqui

Além do apoio do renomado médico, a população tem apoiado a enfermeira e esperava que não houvesse nenhum tipo de punição e que a Ozonioterapia seja estudada para que possa ser usada no combate ao novo Coronavírus. Revoltados, colegas, amigos e familiares de Érica resolveram fazer uma campanha nas redes sociais, intitulada: ''Eu apoio enfermeira Erica''.

Érica Regina, é formada em Enfermagem pela Faculdade Cesmac do Sertão, localizada na cidade de Palmeira dos Índios, após se formar se mudou para o município de Nossa Senhora da Glória, Sertão Sergipano, aonde atua como enfermeira. Casada ela tem três filhos. ''Agora a minha luta é conseguir a implementação dessa terapia nas unidades do país'', finalizou Érica.