Caixa prepara medida que reduzirá juro para micro e pequena empresa

  • antoniomelo
  • 28/06/2009 00:05
  • Brasil/Mundo
A Caixa Econômica Federal se prepara para anunciar um grande corte nas taxas de juros na próxima semana, agora para micro e pequenas empresas, de acordo com a presidente da instituição, Maria Fernanda Coelho.

Assim que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovar o uso do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para cobrir eventual calote nos empréstimos desse segmento, a instituição passará a praticar as novas taxas. Em alguns casos, o juro será reduzido pela metade.

O FGC deve beneficiar as instituições que emprestarem a micro e pequenas empresas. A maior parte dos recursos do Fundo virá do Tesouro Nacional, que deve iniciar com um aporte de R$ 2 bilhões.

A medida é coordenada com a equipe econômica, e tem como objetivo manter aquecida a atividade nesse setor, que ainda não teve a oferta de crédito restabelecida completamente.

Na próxima semana, o CMN deve aprovar a regulamentação do FGC, para permitir que as instituições financeiras recebam recursos para cobrir eventuais prejuízos em caso de inadimplência das pequenas empresas.

O novo instrumento é a principal aposta do Ministério da Fazenda para reduzir o custo do crédito e restabelecer a oferta de empréstimos para esse segmento de empresas, que sofre duramente com a restrição de crédito desde o agravamento da crise, em setembro do ano passado.

Apesar da melhora das condições da economia, o nível de oferta de empréstimos a empresas menores ainda não é considerado normal.

Segundo Maria Fernanda, essa redução das taxas de juros só será possível porque as operações passarão a contar com o "seguro" do FGC. Com isso, os riscos da operação diminuem drasticamente, abrindo espaço para que a instituição reduza os spreads bancários - margem cobrada na operação - e, por consequência, corte os juros finais.

A linha com a maior redução proporcional será a destinada aos investimentos. Sem citar o produto, a presidente da Caixa disse que a taxa que atualmente é de TR acrescida de 6,5% ao ano cairá para TR somada a juro de 3% a 4%.

Na página do banco na internet, é possível constatar que o juro atual citado por Maria Fernanda coincide com o financiamento de máquinas e equipamentos para micro e pequenas empresas. Essa será a sétima queda de juro anunciada pelo banco este ano.