Michael Jackson teria recusado a se internar em clínica

  • eduardocardeal
  • 28/06/2009 00:21
  • Brasil/Mundo
O jornal Daily Mail afirmou na noite deste sábado que Michael Jackson se recusou a ser internado em uma clínica de reabilitação há cerca de duas semanas, quando os familiares lhe imploraram para que ele parasse de tomar analgésicos.

O cantor teria resistido aos pedidos, dizendo que precisava se focar no seu retorno aos palcos no próximo dia 13 de julho, em Londres.

Michael teria concordado em contratar um personal trainer para ficar ao seu lado em tempo integral, impedindo que ele tomasse remédios na sua viagem a Londres. O profissional, no entanto, nunca chegou a trabalhar ao lado do cantor.

Ainda de acordo com o Daily Mail, Michael Jackson se consultou com um terapeuta de celebridades nas últimas semanas para discutir seu vício em Demerol, um remédio com ação semelhante à morfina. Ele faria um tratamento fora da clínica, já que se dedicava aos ensaios.

Colapso há seis anos
O jornal afirma que Michael Jackson teve uma overdose, dada ao seu vício em Demerol, há seis anos, quando não aguentou a pressão de ter sido acusado de abusar sexualmente de uma criança. Ele teria sido internado em um hospital em Gary, sua cidade natal, mas a notícia nunca foi divulgada previamente.

Adeus ao rei do pop

Os rumores sobre a morte de Michael Jackson começaram a aparecer por volta das 13h (horário de Los Angeles), 17h em Brasília, da última quinta, 25 de junho, quando uma ambulância foi chamada para socorrer o cantor em sua casa, no bairro de Bel Air. Momentos depois da chegada de Jackson ao UCLA Medical Center, o site de celebridades TMZ publicou a notícia de que o cantor havia morrido. Em seguida, o jornal Los Angeles Time confirmou a informação. A morte de Jackson só foi oficialmente divulgada por volta das 15h (19h em Brasília), quando o Instituto Médico Legal da cidade confirmou o falecimento do ídolo pop. O tenente Fred Corral, porta-voz do IML local, disse à rede de televisão CNN que Jackson foi declarado morto às 14h26 (18h26 em Brasília).