Receita explica regras de aumento do IPI de automóveis a partir de outubro

  • teresa
  • 29/06/2009 17:00
  • Negócios
O chefe-substituto da Divisão do IPI da Secretaria da Receita Federal, Rui Diogo Borba, explicou nesta segunda-feira (29) como funcionará a recomposição da alíquota anterior do Imposto Sobre Produtos Industrializados, para a compra de automóveis, de outubro deste ano em diante.

Nesta segunda, o governo anunciou que o tributo permanece menor até o fim de setembro, mas que, entre outubro e dezembro, voltará a subir.

IPI reduzido

Para carros populares, de até mil cilindradas, o IPI caiu de 7% para zero e, para automóveis entre mil e duas mil cilindradas movidos à gasolina, recuou de 13% para 6,5% no início deste ano - alíquotas que foram mantidas até o fim de setembro. Para carros flex (bicombustível) e movidos à álcool, o imposto caiu de 11% para 5,5% e assim fica até o fim de setembro. Não houve alteração para veículos com mais de duas mil cilindradas.

Aumento de outubro em diante

Segundo a Receita Federal, o IPI de carros de até mil cilindradas, que está zerado, subirá para 1,5% em outubro, para 3% em novembro e para 5% em dezembro, retornando ao patamar anterior de 7% no dia 1o. de janeiro de 2010.

Já o IPI para carros de mil a duas mil cilindradas movidos à gasolina, que está em 6,5%, subirá para 8% em outubro, para 9,5% em novembro e para 11% em dezembro deste ano, voltando ao patamar antigo, de 13%, em janeiro do ano que vem.

Para os carros flex, com mais de mil cilindradas, o IPI, que atualmente está em 5,5%, subirá para 6,5% em outubro, para 7,5% em novembro e para 9% em dezembro, sendo a tributação anterior, de 11%, retomada no início do ano que vem.