Justiça manda prender ex-presidente da Câmara de Cuiabá

  • eduardocardeal
  • 30/06/2009 04:01
  • Política
A Justiça de Mato Grosso determinou a prisão do vereador Lutero Ponce de Arruda (PMDB), ex-presidente da Câmara Municipal de Cuiabá. Inquérito da Polícia Civil aponta irregularidades em R$ 7.475.887,48 em gastos autorizados sob sua gestão, entre janeiro de 2007 e dezembro do ano passado.

Até a conclusão desta edição, o vereador não havia sido preso e era considerado foragido, segundo nota da Polícia Civil.

Cinco servidores da Câmara e cinco empresários também tiveram a prisão decretada. Todos serão indiciados por suspeita de formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato e fraude à licitação.

As irregularidades envolvendo a gestão de Ponce já haviam sido apontadas em auditoria contratada pela própria Câmara. Entre as compras sob suspeita, estão as de 6 milhões de copos descartáveis e de 280 caixas de chás diversos.

Apenas uma das empresas investigadas participou de 13 licitações apontadas pela investigações como fraudulentas --em média, só 10% das mercadorias adquiridas chegavam a ser entregues, disse a polícia.

"A certeza da impunidade era tão grande, que o grupo criminoso sequer preocupou-se em dissimular o óbvio", disse a delegada Maria Alice Amorim, que participou das investigações. As fraudes nos processos de licitação ocorriam, segundo ele, na modalidade carta convite e nas compras diretas com dispensa de licitação.

O advogado Paulo Taques, que representa o vereador, negou à reportagem que seu cliente estivesse foragido.
"Ele está viajando. Assim que chegar à cidade, irá se apresentar normalmente", disse ele.

Sobre as acusações o advogado preferiu não fazer comentários "antes de tomar conhecimento das investigações". "Infelizmente, a defesa é sempre a última a saber", afirmou.