Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Piranhas, Alagoas

A polícia Civil do 32º Distrito Policial de Piranhas começa a ouvir na manhã desta quinta feira (21) as testemunhas do duplo homicídio que aconteceu no município na última terça feira (19) onde Juarez Ferreira da Silva, 39, e seu filho Josivaldo Bezerra da Silva, 19, foram mortos a tiros e depois tiveram os corpos parcialmente queimados a menos de 1 km de suas residências no Bairro Fazendinha que fica na saída para Canindé do São Francisco (SE).

O delegado responsável pelo caso Carlos Umberto de Almeida investiga se as vítimas tinham envolvimentos com drogas e busca ligar as informações para tentar encontrar os autores do crime.

Entenda o caso

Na manhã de terça feira (19) por volta das 11 h à polícia civil do 32º Distrito Policial de Piranhas foi informada de que dois corpos tinham sido encontrados parcialmente queimados e com marcas de tiros a poucos metros do bairro Fazendinha que fica na saída para Canindé do São Francisco (SE).

Os corpos que já estavam em estado de decomposição foram identificados como sendo de Juarez Ferreira da Silva, 39, e Josivaldo Bezerra da Silva, 19, pai e filho que teriam sido arrastados de dentro de sua residência na presença dos familiares por pelo menos quatro homens armados na madrugada da última sexta feira (15).

De acordo com familiares, Juarez e Josivaldo moravam há cerca de 500 metros do local onde supostamente foram executados. Os corpos foram removidos pelo Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca.

Segundo o escrivão Alex, a polícia não tem pistas dos criminosos, mas acredita que o crime esteja relacionado com o uso de drogas.