Presidente do PTB ataca deputados de Alagoas

  • Carlos Amaral, Tribuna Hoje
  • 26/10/2021 10:50
  • De Olho nas Eleições 2022
Gilca Cinara/ Arquivo
Coletiva do dep. Antônio Albuquerque - PRTB
Coletiva do dep. Antônio Albuquerque - PRTB

Os deputados – estadual e federal – Antonio e Nivaldo Albuquerque foram atacados por Roberto Jefferson em carta que o presidente nacional do PTB pede afastamento do cargo por estar preso em Bangu 8. No documento, o dirigente chama Antonio de “coronel” e Nivaldo de “donzela virginal”.

“Coronel Antônio Albuquerque, homem em armas, tem longa história de pistolagem, várias acusações como mandante de homicídios, prisões e investigações em processos e CPIs de pistolagem. Seu filho Deputado Nivaldo, é uma dama, gentil, delicado, incapaz de uma truculência. Tanto que o coronel Albuquerque supre suas fragilidades frequentemente. Sempre em Brasília é o líder de fato da bancada federal. Cuida de seu frágil rebento como uma donzela virginal, pois passa suas semanas no apartamento funcional do filho em Brasília”, ataca.

“Há até uma brincadeira que se faz no partido sobre esse cuidado extremado do coronel para com seu filho, maior de idade e quase quarentão, lembrando um título de famosa peça de teatro encenada com sucesso nacional: ‘Toda donzela tem um pai que é uma fera’”, completa Roberto Jefferson após apontar que Antonio Albuquerque organiza uma oposição interna no PTB.

“Nivaldo, que disputa com o jovem deputado cearense, Pedro Geromel, quem é o mais belo da bancada, ganhou o apelido de Zé Bonitinho, pois saca seu pente do bolso, a cada cinco minutos, para arrumar suas melenas, seus cabelos”, segue o presidente nacional do PTB.

“Ele [Nivaldo] teve uma alteração com a Graci, miaram, se arranharam, espernearam, e a Graci o chamou de frangote, o que provocou iracunda reação do zeloso Coronel Albuquerque, que ameaçou a vida da nossa Graci. Temos o WhatsApp guardado com a ameaça”, completa.

“Graci” é Gaciela Nienov, atual vice-presidente nacional do PTB e nome escolhido por Roberto Jefferson para assumir a legenda em seu lugar.

Ao menos publicamente, a primeira desavença entre Roberto Jefferson e os Albuquerque se deu após um parlamentar do PTB votar favorável, numa comissão da Câmara dos Deputados, à maconha medicinal. Roberto Jefferson queria que Nivaldo Albuquerque tirasse o parlamentar da comissão, mas isso não ocorreu.

Então, Roberto Jefferson tentou, sem sucesso, trocar a liderança do PTB na Câmara dos Deputados, mas o regimento da Casa só permite troca em caso de decisão da bancada e não da direção partidária.

Então, o presidente nacional do PTB mirou o diretório estadual de Alagoas e destituiu Antonio Albuquerque do comando da sigla, o que foi retomado semanas depois por via judicial.

A reportagem da Tribuna Independente contatou o deputado estadual Antonio Albuquerque, mas ele não retornou à reportagem até o fechamento desta edição. Não foi possível contatar o deputado federal Nivaldo Albuquerque.

PRISÃO

Roberto Jefferson está preso desde 13 de agosto, por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, devido a um inquérito que investiga milícias digitais, que é uma continuidade do inquérito dos atos antidemocráticos.

Ele foi internado em uma unidade hospitalar pública, no último dia 24, depois de apresentar pressão baixa, febre alta e calafrios, de acordo com seu advogado.

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro informou que Jefferson solicitou atendimento médico após apresentar quadro de dores na lombar.

Sua defesa afirma que Roberto Jefferson corre risco de morte e pediu ao STF para que ele seja transferido para um hospital particular, com uso de tornozeleira eletrônica.

Em setembro, Roberto Jefferson foi internado por infecção urinária, dores lombares e foi submetido a um cateterismo.