Rui Palmeira sabe que a fila de governador andou

  • Ricardo Mota
  • 28/12/2021 16:40
  • De Olho nas Eleições 2022
Foto: Assessoria - Arquivo
Rui Palmeira
Rui Palmeira

Encontrei casualmente, na semana passada, um assessor permanente do ex-prefeito Rui Palmeira.

Foi uma conversa rápida e cordial, e eu perguntei pelo ex-gestor da capital, ao que fui informado que ele estava “pensando” em disputar o governo do Estado.

Ambos, o assessor e eu, sabíamos que a informação era para “inglês ver”. Tanto que ele comentou, à minha observação, que a chance de Palmeira disputar a cadeira de Renan Filho já havia passado.

A fila andou.

O ex-prefeito era o nome mais cotado para fazer frente ao atual governador em 2018 e alimentou a condição de candidato ao Palácio República dos Palmares até a última hora – o prazo-limite para a sua desincompatibilização da prefeitura de Maceió.

Depois do recuo – e eu respeito todas as suas razões para fazê-lo -, Palmeira se apequenou ainda mais: se agregou ao governador Renan Filho, tornando-se praticamente um secretário estadual para a capital.

No final, assinou com Filho a derrota para a sua sucessão. Lembrando que ele, assim como Renan Filho – como Ronaldo Lessa, como Téo Vilela, como Cícero Almeida –, não conseguiu projetar um nome para substituí-lo no cargo. 

Um clássico na política local.

Rui Palmeira pode até voltar a ser um candidato viável ao governo de Alagoas, mas o 2022 para ele aconteceu em 2018.