Collor: se correr o bicho pega e se ficar o bicho come

  • 02/05/2022 11:35
  • Marcelo Bastos

  O senador Fernando Collor encontra-se numa séria encruzilhada nas eleições de 2022: se for candidato à reeleição ao senado, de acordo com todas as pesquisas divulgadas até agora, perde de forma fragorosa para Renan Filho; se resolver ser candidato a deputado federal, para preservar sua imunidade parlamentar, deverá ter no mínimo 135.000 mil votos para brigar por sobras de vagas ou atingir 170.000 mil votos, para se eleger pelo quociente eleitoral, já que está sozinho no PTB. Tudo indica que o melhor caminho a seguir seria a candidatura a governador, já que os atuais pré-candidatos não têm grande densidade eleitoral.

  Fernando Collor, ao readquirir seus direitos políticos, teve a grande oportunidade de protagonizar a oposição ao governo do PT e simplesmente não entendeu isso e tornou-se aliado de quem sempre o condenou.

  Só fatos imprevisíveis tornarão Collor vitorioso nas eleições de 2022, mas um raio não costuma cair duas vezes no mesmo lugar e aquela eleição de 2006, em que ele foi vitorioso para o senado, em apenas 28 dias de campanha, representa, exatamente esse raio que poderá não se repetir.

  Não seria inteligente substimar o senador Collor, em qualquer situação, porém é muito improvável o seu êxito nas eleições de 2022.