Alagoas na Net Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Os vereadores do município de Palestina, Claudio da Silva Faleiro “Claudio Cabudo”, Ronaldo Nicácio da Silva Tostoio” e Marilene Pereira da Cruz estão dispostos a denunciar alguns de seus colegas parlamentares por omissão dos trabalhos na Câmara de Vereadores daquela cidade.

Segundo Cabudo já somam três os Projetos de Lei que estão parados na casa legislativa devido à falta de interesse dos seus colegas na hora da votação. O Plano de Cargos e Carreiras e Vencimentos (PCCV) dos professores, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), além da verba de custeio, todos estão parados.

PCC dos Professores

Um retrato fiel do desinteresse de parte dos parlamentares foi mostrado em duas audiências públicas realizadas no Município, nos dias 28 de julho e dia 02 de agosto deste ano. De acordo com a Ata dos nove vereadores apenas quatro compareceram na primeira audiência pública, enquanto a seguinte esse numero foi para três.

“O PCCV dos professores é de suma importância para a classe no município, que esperam desde fevereiro a sua tramitação e até agora nada”, disse Cabudo.

Ainda de acordo com Claudio Cabudo o PCCV dos professores repercutiu após o Poder Executivo lançar também um Projeto de Lei sobre o PCCV, onde prevê a redução de 50% do salário dos professores graduados para 25% e de 5% para 3% dos funcionários por tempo de serviço.

LDO

Em relação a LDO o vereador Tostoio explica que o projeto já começou errado, pois foi entregue fora do prazo para apreciação, no dia 15 de julho, onde deveria ter sido aprovado até o dia 30 de junho.

Mesmo apresentando diversos erros Tostoio explica que, por razão da não apreciação da LDO no prazo legal, a Câmara de Vereadores de Palestina é a única em Alagoas que não teve seu recesso parlamentar, ficando o mês de julho a espera da apreciação dos projetos em discussão.

Impeachment

Além do desinteresse de parte dos parlamentares em relação as votações dos projetos, os vereadores do bloco de oposição também se deparam com o caso de intervenção no município após a constatação do Tribunal de Contas do Estado.

Segundo Claudio Cabudo os vereadores irão lutar para pedir a cassação do mandato do prefeito Junior Alcântara.

“Temos esperanças de que o governador Teotônio Vilela ou a Assembléia Legislativa aceite o pedido de intervenção, solicitado pelo TCE, pois o gestor do nosso município demonstra visivelmente a incompetência e desorganização na administração pública, além do desrespeito com a justiça, mostrado por várias vezes na imprensa”