O secretário de estado da Educação e do Esporte, Adriano Soares, se reuniu com a direção do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Alagoas (Sinteal). Na pauta, as ações de melhoria na pasta que estão sendo implementadas durante sua gestão.

 

Soares apontou os investimentos na modernização das escolas que visam dar maior celeridade no fluxo de informações da rede estadual e condições de ensino.

 

“Precisamos saber o que acontece nas escolas, acompanhar nossos alunos, saber se eles estão aprendendo satisfatoriamente para tomarmos decisões mais eficientes. Já a partir de 2012, com a implantação deste modelo de gestão, podemos dar um salto de qualidade na Educação de Alagoas. E isso não é exagero, porque existem experiências semelhantes que estão dando certo em outros lugares do país”, afirmou Soares.

 

Ele destacou ainda que o sistema de informação que será implantado é composto por uma rede de computadores interligada que receberá os dados de funcionamento em todas as áreas da escola.

 

“Quando os alunos e professores chegarem à unidade, eles serão identificados por meio da digital. A frequência, a caderneta e todas as informações da escola serão informatizadas. Precisamos ter capacidade e determinação para transformar este modelo de gestão que existe”, reforçou ele.

 

Para a presidente do Sinteal, Célia Capistrano, as propostas apresentadas são importantes para o avanço da educação e este é um momento em que é preciso parceria.

 

“Estamos muito satisfeitos com o que ouvimos e percebemos realmente que há perspectivas de mudança na educação. Nós, do Sinteal, não estamos do lado oposto. Pelo contrário, queremos apoiar o trabalho da secretaria”, completou ela.

 

Infraestrutura

 

Na reunião, a secretaria tratou ainda sobre a avaliação e recuperação da infraestrutura das escolas da rede. Adriano Soares reafirmou que a questão merece um tratamento responsável e sério. “Temos trabalhado incansavelmente neste sentido. Criamos uma comissão de Gerenciamento de Risco da Infraestrutura das Escolas que tem até o início da semana que vem para montar o plano de ação para a vistoria em toda a rede” explicou.

 

Neste sentido, a presidente do Sinteal reforçou a parceria entre a instituição e a SEE. “Nós não podemos ser sensacionalistas neste assunto. É preciso deixar claro que o Sinteal não faz vistoria. Sabemos que há problemas na rede, mas nossa intenção é sempre contribuir e auxiliar a SEE. Assim, reforçamos o nosso compromisso de que qualquer informação que chegar ao sindicato será repassada imediatamente à secretaria para que possam ser tomadas as providências”, explicou ela.

 

Cepa

 

Outro assunto tratado foi a reforma do prédio sede da secretaria e a mudança para o Centro Educacional de Pesquisas Aplicadas (Cepa), fato que deverá ocorrer em 60 dias. O secretário Adriano Soares garantiu que a transferência será feita com tranquilidade e sem prejuízos para a estrutura. “Não iremos desativar nenhum espaço do Cepa para receber os servidores da SEE. Vamos realocar todas a áreas dentro do próprio complexo”, explicou. Ele destacou ainda as vantagens da medida. “Temos dois ganhos: vamos investir e revitalizar o Cepa e ainda não teremos gastos de dinheiro público com aluguel”, concluiu Soares.

 

“Isso nos deixa despreocupados. Percebemos o compromisso da SEE com o Cepa e com quem está no local, o que é muito importante para os trabalhadores”, frisou Capistrano.

 

Conselhos escolares

 

Ainda no encontro, o secretário tratou da eleição dos conselhos escolares e a campanha de mobilização da sociedade para o fortalecimento das unidades de ensino. “Temos trabalhado com o conceito de que a escola é feita por você. Assim, queremos radicalizar a gestão democrática e trazer realmente a comunidade, os pais, os alunos, os professores para a administração da escola. As nossas unidades têm de ser a extensão da comunidade” completou.

 

Plano de Cargos e Carreiras

 

Também foi discutida a reformulação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) do magistério e dos servidores da Educação. Ficou acordado que uma comissão conjunta entre a SEE e o Sinteal será composta para discutir os pontos de revisão.