Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Três mulheres que estavam presas na delegacia de Ubaitaba, sul da Bahia, conseguiram sair da cela e renderam o carcereiro enquanto ele tomava banho. De acordo com a Polícia Civil, elas espancaram o oficial, chegando a segurar seu órgão genital para dominá-lo, e o prenderam, nu, em uma das celas.

Erenice, conhecida como Binha, Rosilda, mãe de Binha, e Adriana conseguiram escapar da cela feminina porque a grade do local estava torta, devido à outra fuga ocorrida na delegacia há duas semanas, e ainda sem conserto.

Elas renderam o guarda, buscaram as chaves da carceragem masculina e abriram as quatro celas que há no local. Seis dos 11 homens fugiram junto com as mulheres.

Eles levaram o Uno Mille do carcereiro, seu celular e uma quantia de R$ 60 em dinheiro. Cinco homens e mais uma quarta mulher, esposa de outro preso, não fugiram. Um dos detentos alcançou a chave da cela em que o carcereiro, ainda nu, estava trancado e o ajudou a sair para chamar ajuda.

O carcereiro teve de tomar cinco pontos na cabeça. Equipes da Polícia Civil e da Polícia Militar fazem buscas para recuperar os presos. Alexandro, conhecido como Cobrinha, Percival, Eliélson, chamado de Pitão, Cristiano, que usa o apelido de Buru, Creiton e outro homem que já havia fugido de uma prisão em Curitiba são os foragidos – a Polícia não revelou seus sobrenomes. Pitão estava preso por homicídios, e os outros por furto ou tráfico.

As mulheres também estavam presas por tráfico.