Procon/AL alerta consumidores para variação da cesta básica

  • gilcacinara
  • 23/04/2009 23:47
  • Maceió
No mês de março a cesta básica teve um decréscimo de 4,05% em relação ao mês anterior. Isto equivale a R$ 177, ou seja, 38,14% do salário mínimo dos maceioenses está comprometido com alimentação. Estes dados são referentes à pesquisa realizada pela Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan). De acordo com ela, os produtos que sofreram variação foram carne, leite, feijão, arroz, farinha de mandioca, tomate, pão francês, café, açúcar, óleo de soja e manteiga.

O preço da carne ficou 2,23% mais barato se comparado com o mês anterior. O mesmo ocorreu com o leite que teve uma queda de 1,46% e o tomate de 7,61%. Já o feijão teve um aumento de 0,29%, assim como a farinha de mandioca, que teve aumento de 0,53%, o pão francês, de 0,86%, o café, de 0,92%, o açúcar, de 3,05%, o óleo de soja, de 0,39%, e a manteiga, que teve aumento de 1,12%.

Segundo estes índices, os gastos com a alimentação básica dos maceioenses tiveram os seguintes preços: o quilo da carne ficou, em média, por R$ 10,54; o feijão, por R$ 3,46; a farinha, por R$ 1,90; o tomate, por R$ 1,82; o pão francês, por R$ 5,83; o café, por R$ 8,84; o açúcar, por R$ 1,69, e a manteiga, por R$ 7,21. Já o litro do óleo ficou em torno de R$ 2,60 e o leite R$ 1,98. “O consumidor deve valorizar cada centavo, principalmente nos tempos de crise, deve pesquisar bastante e pechinchar na hora da compra, porque há uma grande variação de preços de um mercado para o outro", ressaltou o superintendente do Procon/AL, Rodrigo Cunha.