Caixa vai financiar pacotes turísticos nacionais

  • eduardocardeal
  • 28/04/2009 03:03
  • Negócios

As vendas de pacotes nacionais de turismo devem crescer até 5% este ano em razão do financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF) para o setor por meio do Crediário Caixa Fácil para o turismo, segundo o diretor de Relações Internacionais da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav). A Caixa e a Abav assinaram hoje protocolo de intenções para financiamento direto de pacotes de viagens a turistas.

O banco firmou protocolo de intenções também com as operadoras CVC e TAM Viagens, que funcionarão como correspondentes "Caixa Aqui". O teto de financiamento é de R$ 10 mil por operação e o prazo máximo de pagamento é de 24 meses. O programa tem foco no turismo doméstico e se destina à população com renda de até dez salários mínimos, correntistas ou não da Caixa. A expectativa do banco público é de que em até duas semanas o programa já comece a funcionar nas agências de turismo.

A Caixa não informou as taxas de juros. "As taxas dependem da relação da Caixa com cada parceiro, mas serão as menores do mercado", disse o vice-presidente de Pessoa Física da Caixa, Fábio Lenza. O pagamento pode ser feito por meio de débito em conta ou boleto bancário. A parcela mínima será de R$ 50 por mês. "O valor é razoável, considerando que a população brasileira já tem a cultura do crediário", disse o ministro do Turismo, Luis Barreto. A análise de risco será feita pelo sistema normal da Caixa.

Conforme a presidente da Caixa, Maria Fernanda Ramos Coelho, os gastos de turistas estrangeiros no Brasil no ano passado superaram R$ 5,7 bilhões, com crescimento de 17% em relação a 2007. No primeiro bimestre, CEF financiou R$ 395 milhões ao segmento, 99% a mais que no mesmo período do ano passado. A Caixa estima financiar as empresas de turismo no montante de R$ 2,2 bilhões para capital de giro e antecipação de recebíveis até o fim de 2009.

Há previsão de desembolso de outros R$ 2 bilhões este ano em varejo e serviços. O protocolo assinado hoje pela Caixa e pela Abav prevê financiamento de pacotes turísticos com origem nesses recursos.

Durante a cerimônia de assinatura do convênio, o ministro do Turismo destacou a importância do papel da Caixa e do Banco do Brasil para minimizar os efeitos da crise econômica internacional. Barreto disse que ministério tem trabalhado para que o setor mantenha as atividades mesmo fora da alta temporada e ressaltou que a inclusão social do governo Lula abrange também o turismo. Segundo ele, o turismo foi o quarto setor na pauta de exportação do Brasil no ano passado, atrás de petróleo, soja, minério de ferro e frango.