Governador lança Central de Autônomos do trabalhador no Senac

  • annaclaudia
  • 29/04/2009 09:26
  • Maceió
O governador Teotonio Vilela lançou nesta quarta-feira, no Senac-Poço, a Central de Autônomos, projeto que surgiu depois de muita discussão e ajustes, e que entrará definitivamente em operação com o objetivo de fazer a intermediação dos profissionais autônomos com o mercado informal de trabalho. A iniciativa é da Secretaria de Estado do Trabalho (Seter).

Além de Vilela, o lançamento contou com a presença do secretário de Estado do Trabalho, Regis Cavalcante, e de secretários estaduais, parceiros do projeto, empresários e profissionais autônomos já cadastrados na Central.

De início, 100 profissionais irão fazer parte do banco de dados, que conta com vários serviços, como o de cozinheira, costureira, cuidador de idosos, doceira, eletricista, encanador, garçom, jardineiro, entre outros. O atendimento aos profissionais e à população será realizado na Diretoria de Ocupação e Renda, na Secretaria do Trabalho.

“Os trabalhadores autônomos passam por um processo de orientação, avaliação e requalificação profissional, visando a responsabilidade, zelando a questão comportamental, a qualidade dos serviços e a segurança”, explica o diretor de Ocupação e Renda da Secretaria do Trabalho, Antônio Carlos dos Santos.

O processo de implantação acontece em duas etapas: a primeira, que é o processo de seleção, consiste em todo o procedimento de recepção, atendimento, atenção, conscientização, referência e preparação do trabalhador. Esta etapa é desencadeada para identificar o perfil pessoal e o potencial do trabalhador autônomo.

A segunda etapa, que é o processo de atendimento das demandas, inclui todos os procedimentos de construção, fortalecimento e manutenção de mercado favorável, para a ocupação e geração de renda do trabalhador autônomo.

O autônomo Fernando Antônio, 49 anos, que é eletricista há mais de vinte, lembrou que a Central foi prometida pelo governo passado e não saiu do papel. Segundo ele, a implantação do programa na atual gestão chega em boa hora para beneficiar os trabalhadores autônomos. “Agora vamos ter uma estrutura para atender melhor a sociedade e com garantia de serviço”, ressalta.

O programa Central de Autônomos não pretende efetivar todos os profissionais cadastrados para intermediar seus serviços, mas que cada um, a cada 24 meses, no máximo, encontre sua própria rede de mercado, alcançada pela eficiência de seus serviços.

De acordo com o secretário Regis Cavalcante, o programa é mais uma grande conquista do governo estadual, que sai do papel para atender, definitivamente, às necessidades da população usuária dos serviços em Alagoas. “Agora será mais fácil conseguir um profissional para resolver os problemas desejados e inesperados”, explica.