Jaílson Colácio/ Divulgação Murici Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Não era precisa somente vencer o Comercial. Além de derrotar o Canarinho de goleada, jogando fora de casa, no Estádio Teotônio Vilela, em Viçosa, o CEO precisava torcer para que o CSE goleasse o Penedense, na partida disputada em Palmeira dos Índios. E toda essa combinação aconteceu.

Aplicando 3 a 0 no Canarinho, a equipe sertaneja foi beneficiada com a goleada dos palmeirenses sobre o Penedense, por 4 a 1, no Juca Sampaio. Empatados com o mesmo número de pontos [nove para cada um], e com a mesma quantidade de vitórias [duas para cada lado], o próximo critério de desempate, segundo o regulamento do Campeonato Alagoano, era o saldo de gols. E por um golzinho só, o CEO levou a melhor. 

Ao final da fase de classificação do returno, os sertanejos tiveram um saldo negativo de seis gols; enquanto o time do Baixo São Francisco ficou com menos sete gols e amargou o rebaixamento para a segunda divisão do estadual em 2015.

Além do Penedense, o outro rebaixado para a Segundona na próxima temporada foi Comercial, que terminou o segundo turno somando apenas sete pontos ganhos.