Temer: PMDB não descarta ter candidatura própria em 2010

  • antoniomelo
  • 17/05/2009 19:00
  • Política

O presidente licenciado do PMDB e comandante da Câmara dos Deputados, Michel Temer (SP) - cotado para concorrer como vice ao lado de Dilma Rousseff, a pré-candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010 - não descarta que o partido possa lançar uma chapa própria ou apoiar o PSDB. Segundo afirmou em entrevista exclusiva ao Jornal do Brasil, a definição depende das futuras convenções do partido.

 

Temer disse que a idéia de um nome do PMDB concorrendo à Presidência foi mencionada por vários dirigentes partidários e ressaltou uma conversa que teve com Lula sobre as eleições do próximo ano: "ele (Lula) tem me dito que a aliança que ele fez com o PMDB é administrativa, não eleitoral".

 

No entando, ele afirmou que a candidatura própria não é fácil e que o partido tem uma "vinculação muito grande com o governo". "O natural, hoje, é que haja uma aliança com o candidato do governo, se aliança houver", disse.

 

Sobre os nomes potenciais do PMDB para a sucessão de Lula, Temer disse que há vários que podem ser cogitados, mas não cita, ainda, quem pode ser o indicado. "Não basta você querer construir um nome. Nós temos governadores, lideranças do partido. O nome será construído com muita tranqüilidade. Não estou dizendo que isso venha a acontecer, mas é também uma probabilidade", afirmou.

 

A respeito de ter sido indicado extra-oficialmente para integrar a chapa presidencial como vice de Dilma, o deputado disse que se orgulha de ter sido lembrado, mas comenta que a idéia é precoce e que não conversou com a ministra sobre a questão. "Fico muito honrado com a lembrança do nome, é natural. Mas não tenho falado sobre isso".

 

Questionado sobre até que ponto a doença da ministra - que teve um câncer linfático diagnosticado no mês passado - pode atrapalhar ou nortear os rumos do PMDB, Temer considerou apenas que a situação da saúde de Dilma merece cautela. "Neste momento nós temos que torcer e desejar que a ministra Dilma tenha pronta recuperação. Ela está em plena atividade, acho que a doença nem a abalou", conclui.